De olho no Worlds 2018 #2: G2 Esports e a busca pelo retorno ao trono europeu

Após um complicado ano de remanejamento e reconstrução de sua equipe (4 de 5 jogadores), a G2 Esports terminou sua temporada de 2018 da EU LCS com chave de ouro após se classificar para a Fase de Entrada do Mundial como seed 3 da Europa. A série contra o Schalke 04 foi extremamente diferente ao que se era acostumado da G2, depois de ganhar o primeiro jogo para o S04, a G2 perdeu para suas próximas decisões no segundo, mas afundou o pé no acelerador e superou notoriamente seus adversários nas duas partidas seguintes. Superando todas as adversidades, a G2 não interrompe sua sequência de aparições no Worlds.

VICTORY MOMENT

O seed 3 da Europa foi garantido! (Foto: Divulgação/Riot Games)

Será agora o momento em que os velhos “reis” da Europa irão voltar à tona? Qual é o segredo da G2 para esse Mundial?

O único remanescente da antiga line-up da G2 se tornou um pilar do time, de forma a ser extremamente calculista e constante durante todo jogo, o croata Luka “Perkz” Perković teve de se reinventar com seus novos companheiros de time, de forma a moldar quatro jogadores de certo modo “inexperientes”, para os qualificar para o mundial. Ele já foi considerado previsível, entretanto, sua vasta pool de campeões o torna uma incógnita. Como uma escolha surpresa de Corki contra a Schalke 04 no terceiro jogo, de forma a pressionar muito todas as lanes. Perkz teve um AMA de 6,83 na série contra o S04 e teve também a maior participação em abates na série, com 41 participações. Sua aparição em pequenas lutas e em ganks sempre é elogiada. Sendo assim, podemos dizer que é um dos pilares que seguram a G2.

PERKZ

Perkz durante a série contra o Schalke 04 (Foto: Divulgação/Riot Games)

O outro lado da moeda no que se diz respeito a G2 é o caçador polonês Marcin “Jankos” Jankowski, o que já foi chamado de “Rei do First Blood” pelo seu estilo alternativo de fazer suas rotas na selva, e suas antigas performances enquanto atuava na H2K, time com o qual disputou a semifinal do Mundial de 2016.

Jankos veio para o “qualificatório” após atuações não tão boas, somando um placar de 6 vitórias e 12 derrotas nos playoffs, de modo que se tornou um jungler quase que “invisível” (principalmente na série contra a Misfits nas quartas de final da liga EU). A vontade de ir pro Mundial falou mais alto com o passar do tempo, e isso fez com que o antigo espírito que beirava sobre Jankos acabasse retornando, o que resultou na classificação da G2 para a etapa inicial do Worlds 2018. No final da série, o selva foi o que mais comemorou a classificação, e talvez seu entusiasmo tenha sido a peça que faltou durante os playoffs.

JANKOS

O grito de alívio do polonês Jankos seria o estopim para a volta da boa fase? (Foto: Divulgação/Riot Games)

O retrospecto dos times europeus no Mundial são bons, mas seria a G2 a escolhida para ocupar o posto mais alto depois da Fnatic em 2011? As dificuldades serão gigantes, e antes de pensar em Fase de Grupos, deve-se pensar na Fase de Entrada, onde a possibilidade de cair com adversários complicados é grande. A G2 só dependem deles mesmos para retornar ao seu “trono”.


O texto faz parte da série “De olho no Worlds 2018”, leia mais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *