O Primeiro Homem: Crítica

Esse forte candidato à concorrer no próximo Oscar trás a história do primeiro homem a pisar na Lua.

Anúncios
Nenhum comentário

Depois de dezenas de filmes sobre a corrida espacial, chega aos cinemas um filme imerso nesse tema, mas com o foco em um homem. “O Primeiro Homem” trás a história de Neil Armstrong e sobre sua participação no programa espacial, mas com sua devida apresentação da vida pessoal do homem que viria a entrar para a história.

Primeiro Homem Ryan Gosling.jpg

ONDE ELE SE DIFERE ESSE FILME, DE OUTROS DO GÊNERO?

Primeiro ele se difere pela abordagem. O filme tem a corrida espacial, ela é de grande peso para o roteiro, mas o importante mesmo são as interações entre os personagens, pois essa é uma história sobre o homem Neil Armstrong, e situa-se em torno de sua vida pessoal e familiar primeiro que sobre sua vida profissional e da construção do ícone que viria a ser. Apenas por ter essa diferença de abordagem sobre os personagens, O Primeiro Homem já se difere de grande parte, senão todos, os filmes que se passam nesse contexto de corrida espacial.

O roteiro em si é baseado no livro bibliográfico First Man: The Life of Neil A. Armstrong de James R. Hansen e foi adaptada por Josh Singer, com a consultoria do próprio Hansen, e é quase imperceptível os acontecimentos entre o que foi real e o que foi criado para o filme.

Primeiro Homem Claire Foy.jpg

E O QUE DE BOM ESSE FILME TRÁS PARA O GÊNERO?

Ele trás uma história profunda, mas muito mundana e plausível dentro tudo que estava ocorrendo ao mesmo tempo para todos os personagens, e todo o drama, peso das decisões, e suas consequências são brilhantemente passadas através dos efeitos sonoros estrondosos que o filme apresenta e a atuação belíssima do núcleo principal, principalmente de Claire Joy, que interpreta Janet Sharon, esposa de Neil Armstrong. É um filme realmente diferenciado entre os seus antecessores no gênero, que apresenta uma gama de efeitos sonoros e de uma fotografia muito primorosa, e uma identidade visual de época muito bem elaborada, e que preserva um granulado nas cenas que remete diretamente à qualidade de gravações da época, e isso agrega muito para a imersão do público na estória que está passando na tela.

ENTÃO?

Então que o filme é excelente, trás muito bem os sentimentos dos personagens, com uma construção técnica digna para concorrer aos grandes prêmios cinematográficos.

10/10 direção

10/10 roteiro

10/10 som e edição

10/10 efeitos visuais e fotografia

09/10 atuação

E você, qual é sua opinião? Fale nos comentários o que você achou e siga o Multiverso+ nas redes sociais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.