LoL: Thaiga conta que quer ser ponto de referência para futuras garotas streamers: “Responsabilidade em primeiro lugar”

Nenhum comentário

Bianca Lula, mais conhecida como Thaiga no cenário de esports, nunca imaginou chegar onde chegou em pouco mais de um ano. Terminando seu curso de Publicidade e Propaganda na ESPM e trabalhando “over the clock” numa empresa de publicidade em 2017, a meta de crescer com sua stream ficou “congelada”.

Agora, em 2018, Thaiga decidiu focar naquilo que realmente gostava: suas streams e o cenário profissional de League of Legends. Saiu do seu trabalho e hoje é streamer contratada pela Pro Gaming, além de ter sido convidada para participar da Superliga ABCDE como Analista. O Multiverso+ conversou com ela logo na primeira semana da competição, e falamos sobre seu ano e futuros projetos. Confira:

DpaeYebXcAIPKuT
Thaiga na Brasil Game Show deste ano (Foto: @biancalula)
M+: Como tá sendo a experiência com a Superliga, está gostando? Achando muito diferente trabalhar como Analista?

Thaiga: Bem, é a minha primeira vez fazendo esse tipo de trabalho então era algo incerto pra galera da ESL, e um pouco para mim também por não ter tido de fato essa experiência, mas no fundo eu sempre senti que eu era capaz e eu só provei que sou de fato. Fiquei impressionada de início com a recepção, achei que por ser uma garota na análise, daria um baque, mas na verdade só me deu mais força e isso foi muito legal pra mim, me deu inspiração.

Eu acredito que todo mundo pode melhorar, inclusive o seu melhor, e eu tô inclusive indo atrás disso agora, tô estudando mais do jogo, me aprofundando mais do que eu já tava há muito tempo, em stream mesmo, fazia análise de jogos, já vinha tendo essa experiência. Mas ao vivo eu preciso de cada vez mais conteúdo, estar sempre atualizada então tô nessa busca.

O seu 2018 foi um ano perfeito. Você começou a streamar esse ano, já vem tendo um grande número de seguidores e diversas oportunidades profissionais. Como você avalia o seu ano?

Thaiga: É engraçado você comentar isso na verdade. Eu comecei a streamar no final de agosto de 2017, só que eu tava terminando meu curso de Publicidade e Propaganda na ESPM e eu tava trabalhando CLT numa agência de propaganda e quem sabe como é trabalhar numa sabe que quem tá lá trabalha muitas horas extras, então as minhas streams eram só nos finais de semana.

Até que no final do ano passado conversei com uma ex-amiga de trabalho que deixei várias metas e oportunidades “stackadas“, paradas em 2017, então em 2018 eu ia efetivar essas minhas metas. E foi exatamente o que eu fiz: consegui sair do meu emprego para me dedicar as streams, fazer ela crescer. Com a stream crescendo fui cada vez mais me apaixonando pelo LoL, pelo cenário, e queria entrar mais nisso, não só com as streams, mas como caster, por exemplo. Nunca imaginei que conseguiria ser caster ainda esse ano, ou Analista, que era o que eu mais queria.

Então esse foi um ano no qual eu, na verdade, passei as minhas próprias expectativas. Não esperava que a stream crescesse tão rápido e não esperava que eu conseguisse estar aqui num evento desse tamanho. Ano passado eu vim na Superliga como fã, nem streamer ainda eu era. Estar aqui com um elenco tão incrível para mim é uma honra.

Você planeja entrar ainda mais no cenário, tanto na ESL, como em eventos da BBL e da Riot? Como você vê o ano que vem por ai?

Thaiga: Meu foco para 2019, que é meu chão, minha base, é fazer a stream crescer muito mais, eu quero ser uma streamer gigante. Agora que eu sei que sei analisar jogos, que tenho essa capacidade, uma desenvoltura boa, cumpri as expectativas de todo mundo da ESL (pelo o que eles me falaram), então planejo continuar paralelamente essa parte de análises e principalmente de LoL.

A gente não sabe o dia de amanhã, eu, por exemplo, tô viciada no Magiczinho Arena, tá bom demais esse jogo, mas o LoL eu sinto que é o meu lance, que eu sei muito, e por enquanto é meu ponto forte na questão de análise, com certeza.

Como uma streamer feminina como você, que vem crescendo tanto no cenário, pode ser uma inspiração para as outras garotas que também querem entrar no meio? Como tá sendo ajuda-las nesse cenário atual?

Thaiga: Responsabilidade, em primeiro lugar, muita responsabilidade. O meu trabalho tem que ser feito principalmente por isso, eu acho que se as pessoas querem se inspirar em mim, tem que ser no meu melhor, e não em um trabalhinho 50%. A Camilota foi uma inspiração, a primeira vez que a vi eu pensei “putz, é possível eu estar ali dentro”; eu não me imaginava como Analista justamente porque eu não via uma Analista garota e isso me assustava.

Então eu acho que não tentei mais ir atrás, claro que sempre tentava me aproximar de locais que tinham torneios, mas eu não tentei mais porque eu não tinha um ponto de referência. No fim, eu virei esse ponto, então eu sei qual é o meu peso porque já passei por isso. Pra mim é uma honra, mas eu coloco em primeiro lugar a responsabilidade com certeza.


Entrevista: Max Alexandre
Canal da Thaiga na Twitch

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.