Djoko fala sobre W.O na Superliga, novo patch, recém-chegados na paiN e trabalho para a próxima temporada: “Ainda existe muito o que consertar”

Nenhum comentário

A paiN Gaming garantiu a classificação para os playoffs após vencer da Redemption W7M por 2-1 no começo da penúltima semana da fase de grupos da Superliga ABCDE 2018. O confronto foi rodeado de polêmicas, visto que a Redemption não chegou a tempo no estúdio por conta de um problema externo que dificultou o trânsito dos jogadores até o stage. O atraso rendeu uma partida de vantagem para a Ayel e cia., que deixaram a equipe inimiga empatar, mas voltaram com tudo para garantir a vitória no “terceiro” jogo. 

Em entrevista exclusiva ao Multiverso+, Thiago “Djoko” Maia, técnico da paiN Gaming, demonstrou tristeza por não ter jogado as três partidas contra a Redemption, que ele apontou como um adversário “muito digno“. Entretanto, Djoko nos contou que o W.O foi muito bem utilizado pela paiN, posto que, com o não acontecimento do primeiro jogo, eles tiveram a oportunidade de escolher o lado no qual queriam jogar no confronto.

O técnico explicou que o patch não favorecia a paiN do lado vermelho e por isso a equipe não conseguiu desempenhar um bom jogo, contudo, o embate no lado vermelho foi essencial para que a paiN fizesse uma partida limpa no azul. “Usamos tudo o que aprendemos sobre eles no red side e aplicamos no blue side, que era mais vantajoso pra gente, ainda mais pelo fato daquele ter sido o último jogo da série“, disse.

O impacto do novo patch

Questionado sobre como o novo patch atrapalhou a paiN no primeiro jogo, Djoko disse que já esperava que os jogadores sentissem dificuldades com a transição do patch. “Quando o 8.23 [patch atual] bateu nós sabíamos que teríamos picks novos para se preocupar“.

Ele tomou a frente dos erros do “primeiro” jogo e assumiu a culpa pelo draft mal apresentado. “Eu errei em fazer uma composição com triple AP’s contra Rumble e Ryze, já que eles podiam tranquilamente itemizar resistência mágica e tornar o jogo muito fácil pra eles. Ter pegado Evelynn, Lissandra (…) aquela preparação foi a certa para aquele jogo“.

Playoffs e INTZ

Com a vitória na sexta-feira (30), o time da paiN praticamente cumpriu tabela contra todas as equipes, faltando só a INTZ, adversária na última semana do torneio. Com a paiN já classificada, perguntamos ao Djoko o que ele espera de sua equipe num confronto contra os times do Grupo A.

Djoko destacou três times do grupo: CNB, ProGaming e Vivo Keyd. “Eles tem mostrado bom conhecimento de jogo, uma constante evolução, bons drafts e vão ser adversários muito respeitosos“, explicou. “Mas ainda temos o último confronto no nosso grupo, contra o time que é provavelmente o adversário mais difícil que no caso é a INTZ“, completou.

Djoko comentou que a INTZ é um time que vem numa grande ascensão e que vem construindo uma história no campeonato, ainda mais por estarem vindo com novos nomes em seu plantel. “Apesar de eu já ver esses adversários do grupo A como possíveis ameaças daqui a duas semanas, a ameaça que tá na porta e tem que ser combatida é a INTZ“, afirmou.

Diversidade de jogadores, chegada do esA e evolução do Nano

Com a recém-chegada de Matheus “Trigo” Trigo e Eidi “esA” Yanagimachi para as posições de atirador e suporte, respectivamente, a paiN conta com uma diversidade de jogadores em sua line-up. A organização ainda tem Carlos “Nappon” Rücker, para a selva, e Hugo “Dioud” Padioleau, como suporte. 

Eu tenho muita felicidade de contar com diversos jogadores no plantel, a gente tem quase um time B montado e é muito legal ter essa diferença de estilo entre os jogadores“, comentou Djoko.

O coach acredita que o esA será uma peça importante na equipe, visto que ele traz consigo o play style do Flamengo, que cresceu bastante ao longo da última temporada. Todavia, Djoko citou sobre o crescimento que o Nano – atual titular na posição de suporte – teve ao longo durante as partidas que disputou.

Ele [Nano] está invicto em séries na Superliga, além de vim mostrando jogos bastante concisos como foi hoje“, explicou. Para completar, ele comentou sobre como a champion pool do Nano vem ficando cada vez mais vasta ao longo da Superliga, sendo que o jogador já utilizou de diversos campeões no decorrer da competição.

Os últimos meses de trabalho com a paiN

Para fechar a entrevista, perguntamos ao Djoko como tem sido trabalhar com a paiN nos últimos meses, dado que a equipe passou por diversas mudanças e vem se mostrando renovada, com uma nova proposta para a próxima temporada. 

Djoko revelou que nos últimos meses tem buscado recuperar todo o trabalho que ele fez e deu certo em outras organizações, e que a chegada do Minerva foi/tem sido essencial pra isso. “O Minerva tem me ajudado bastante a recuperar esses caminhos positivos, mas ainda tem muito chão“. 

O técnico finalizou dizendo que a paiN tem usado a Superliga como teste para tudo o que o time quer fazer no ano que vem, ratificando que “dias como hoje, e principalmente o primeiro jogo, mostram que ainda existe muito a se consertar. Espero que estejamos ainda melhor para a próxima semana contra a INTZ“.


O jogo entre paiN e INTZ acontecerá na próxima sexta-feira (7), às 18h (horário de Brasília).

Entrevista: Max Alexandre

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.