LoL: LWZ comenta sobre a oportunidade de jogar nos estúdios da Riot, família e visibilidade

Nenhum comentário

A UFABC Storm se sagrou campeã do Desafio UniLoL 2018 após vencer a Minerva eSports, da UFRJ, por 3-0 no último domingo, visando coroar o ano com mais uma conquista feita pelos meninos do extremo-sul de São Paulo. O embate mais esperado era rodeado de expectativa por ambos os lados, visto que a Riot Games Brasil disponibilizou seu estúdio para que as equipes se acomodassem e vivenciassem um estilo de vida de um “jogador profissional”. Esse tipo de visibilidade para os jogadores universitários encantou não só os próprios, como entusiastas do esport em geral.

Em entrevista cedida ao Multiverso+, Vinicius “LWZ” Bueno, suporte da UFABC Storm e estudante de Engenharia de Energia, se disse bastante surpreso com o nível dos adversários em comparação com outros campeonatos disputados recentemente, agradeceu todo o carinho e oportunidade que a Riot Games está dando ao cenário universitário e conversou sobre os problemas neste âmbito, o apoio da família e a pressão de vencer por ser a equipe mais vencedora do cenário.

45236285625_92ffb868f2_h
UFABC Storm após a conquista de mais um campeonato universitário (Foto: Riot Games)
A parceria com a Riot Games Brasil

Os jogadores demonstravam estarem emocionados com a oportunidade de sentar na mesma cadeira que grandes personas do CBLOL como Revolta e brTT, LWZ não poupou elogios à Riot Games: “É muito legal estar aqui no estúdio da Riot, principalmente porque da última vez que teve o Unilol foi lá na BGS 2017; quando recebemos a notícia foi muito legal, a gente não sabia como ia ser, todo mundo achou muito legal, muita emoção envolvida né“.

Também comentou sobre os jogos contra as equipes e o mind-set para esse campeonato: “Duas semanas atrás a gente da UFABC Storm jogamos os jogos universitários brasileiros, tivemos alguns problemas de inscrição e tomamos um W.O então acabamos jogando contra a Minerva (adversário da final) e ficamos bem amigos da galera, quase que não deu pra ganhar, mas deu tudo certo no final“.

Família, LoL e universidade

Outro assunto bem sério dentro do meio universitário, é a inter-relação entre família, League of Legends e a universidade em si, sendo ainda um tabu intrínseco à sociedade brasileira, LWZ deu sua opinião sobre o assunto e disse como foi em relação a sua família aceitar esse tipo de vida:

Meu pai sempre fermentou minha paixão por video-games, ele era uma pessoa que sempre gostou de jogos antigos, então quando era criança comecei a jogar e acabei saindo dos consoles, gostei muito de PC e comecei a jogar no final da Season 3, minha família sempre me apoiou. Eu não tive muitos problemas, mas depois que eu entrei no time eles ficaram bem felizes, quando fomos para Portugal no começo do ano eles não acreditaram e acharam muito estranho e mais ainda quando fomos para a China, nem dá pra falar como se sente, nem o que vai ser daqui a pouco, ai você fica sem saber se realmente vai acontecer consigo mesmo“.

Mecânica, Play-style e Semifinal

Na semifinal (2-1 para UFABC Storm) tivemos lapsos onde os jogos pareciam incertos. O time da Azure demonstrava estar no mesmo nível da equipe do ABC, e algumas coisas saíram do controle. Perguntamos sobre como foi a decisão do draft e os erros da partida.

“A gente tem um problema no draft, a gente queria esconder uns picks bons nossos porque todo mundo conhece muito bem a gente, acabamos escondendo demais, pegamos Kayn sendo que é só a segunda vez que a gente pega em um jogo disputando algo então nós ficamos um pouco perdidos no early game. O Urgot do Sidera (pick da semifinal) ficou mais forte que o esperado e a Xayah do Matzera (pick da semifinal) ficou um pouco menos, não imaginávamos que o Kassadin do Limão poderia matar ela varias vezes e que a Syndra do Raposa não teria poder de burst, mas o Sidera jogou muito bem de Urgot, segurou a bot lane quando a gente fez o Baron, a gente já sabia que não importa quantas kills tinha o Kassadin, se a gente levar esses três inibidores é só dar o push pro GG e foi isso que fizemos, tipo, o Kassadin podia ficar 16/0 com tanto que ele não fizesse 1×5 a gente conseguia levar o jogo”.

Udyr e considerações finais

“Eu avisei que se não banirem Udyr a gente ia pickar, a gente deu garrada e saímos daqui com o troféu, queria agradecer principalmente a visibilidade que vocês estão dando pro cenário e todo apoio e carinho que a galera tem com a Storm, as rivalidades sempre ocorrem, sempre vão ocorrer, mas nós estamos aqui para sermos derrubados e enquanto não derrubarem a gente, nós vamos levar tudo.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.