BGS 2019: paiN Gaming é campeã de Counter Strike GO

Em decisão contra a equipe da W7M durante a BGS Sports, a paiN Gaming domina a partida e, sem perder nenhum mapa, vence por 3 a 0 

A paiN Gaming faturou o título de Counter Strike Global Offensive pela BGC, durante a BGS 2019, e volta para casa com a premiação de R$20 mil. Com uma formação experiente em CS:GO, o time da paiN  levou a melhor contra a W7M – campeã do ano passado – e venceu a partida por 3 a 0 sem perder nenhum mapa.  

Subiram ao pódio para receber o inédito troféu “biguzera” Bittencourt e Wesley “hardzao” como os riflers, Paulo “land1n” Felipe (awper), Vinícius “PKL” Coelho (in-Game Leader), Alef “tatazin” Pereira (entry Fragger) e Bruno “ellllll” Ono como o coach. Os mapas escolhidos para a grande final foram: Vertigo, Nuke e Dust 2. O mais disputado foi o primeiro, que terminou com 16 pontos a favor da paiN contra 13 da W7M. “Quando os mapas foram decididos ficamos bem confiantes, a sequência estava muito favorável para nosso time”, declara o coach da paiN, Bruno “ellllll” Ono. 

A paiN Gaming dominou totalmente a partida e mostrou que a sincronização da equipe foi fundamental para tomadas de decisões rápidas e assertivas vencendo por 3 mapas a 0, em uma disputa que era melhor de cinco. A equipe terminou o primeiro turno do Clutch Circuit em primeiro garantindo a classificação para a LA League.

Em entrevista exclusiva para o Multiverso+, Paulo “land1n” Felipe (awper) contou melhor sobre a decisão da final da BGC  e também falou sobre planos internacionais.

M+: Primeiro gostaríamos de parabenizar pela vitória. Sei que o resultado foi 3×0, mas gostaria que você comentasse um pouco mas sobre o jogo. A W7M foi um oponente difícil, o jogo teve alguns momentos complicados ou vocês tiraram de letra?

Land1n: A gente treinou bastante essa semana, focamos muito no prático e jogamos bastante mapa ao invés de tentar coisas novas. A gente sabe que a W7M sempre é um oponente difícil, mas dessa vez conseguimos ser superiores. Até porque ano passado nós perdemos para eles, então nós chegamos com um gostinho a mais para ganhar.

M+: Vocês são bem vistos aqui no Brasil. Sei que vocês já jogaram antes lá fora, mas há um interesse em seguir uma carreira internacional mais a fundo como a Furia, por exemplo, ou pretendem continuar somente no cenário nacional?

Land1n: A gente sempre pensa em jogar contra os melhores. Etão a gente dominando o Brasil, o nosso foco é ir para fora mesmo, jogar contra os melhores e adquirir mais experiência.

Créditos: Luiza Thomas

Para mais matérias sobre a BGS, clique aqui.

Comentários