Circuito Desafiante 2020: Santos derrota Team oNe e é campeão

Quando o clássico clube poliesportivo Santos Futebol Clube anunciou que investiria nos esports e entraria no cenário de League of Legends com um novo time os torcedores ficaram eufóricos, e as comparações com a equipe do Flamengo começaram a aparecer. Contudo, os primeiros momentos da equipe de LoL da Vila Belmiro não foram positivos: com investimentos fracos, o time não parecia que iria chegar muito longe. Mas aparentemente, essa realidade ficou para trás e os santistas podem comemorar: a vaga para o CBLOL é do Santos e as expectativas são grandes para o que esse time pode apresentar no futuro.

O início do Circuito desafiante da equipe foi apagado, com muitos altos e baixos e muitos criticavam as atuações dos coreanos Rainbow e Jackpot, que já possuem uma grande bagagem profissional e mostraram no passado que são ótimos jogadores. Mas, aos poucos, a equipe foi subindo na tabela como quem não quer nada. Nas etapas finais, as peças finalmente se encaixaram e a sintonia entre os jogadores ficou aparente.

Do outro lado da final tivemos a Team oNe, que apesar de já ter chegado à gloria do título do CBLoL e à fase de entrada do Mundial, atualmente não apresenta um desempenho de alto nível como antigamente. Porém os Golden Boys fizeram o dever de casa e garantiram sua vaguinha na final. Antes de falarmos sobre o que esperar do campeão no futuro, vamos falar brevemente das partidas da final.

Partida 1

Em resumo, o Santos venceu a Team oNe com um placar de 3 games a 0. Entretanto, não foi um grande stomp, pelo o que normalmente pensamos quando uma equipe vence uma melhor de 5 desta forma. É perceptível que a equipe santista ou não consegue impôr um ritmo muito forte no early game ou propositalmente decidem se segurar para focarem entre o mid e late game. É possível perceber isso logo no primeiro jogo, quando a Team oNe mostrava uma leve superioridade até os 18 minutos. Contudo, Rainbow estava de Kassadin e a Team oNe se perdeu ao tentar fazer um Dragão da Montanha. Desse momento em diante o Santos começou a impor seu jogo e antes dos 32 minutos, a partida tinha acabado.

Rainbow dominou a primeira partida com seu Kassadin
Partida 2

Mesmo que Rainbow tenha sido o MVP do primeiro jogo, a bot lane do Santos fez uma excelente partida também com sua Senna e Maokai. A segunda partida foi de certo modo semelhante a primeira: uma leve vantagem para a Team oNe só que dessa vez o Santos cobrava lutas ruins por objetivos como dragões. Incrível ou não, podemos dizer que o jogo foi decidido mais uma vez numa luta errada da Team oNe pelo dragão, que, além de perder esse recurso, perdeu a luta, o Baron e minutos depois, o jogo.

Partida 3

O terceiro jogo era tudo ou nada para os Golden Boys. Dessa vez, o Santos teve um maior domínio do early game, estando ligeiramente a frente do adversário nos 10 primeiros minutos. A partida, que já tinha 18 abates (9 para cada lado) antes dos 14 minutos, começou a ficar interessante quando a Team oNe encaixou uma linda team fight por volta dos 19 minutos e mudou totalmente o caminhar do jogo. O Viktor do Brucer virou um monstro e a Team oNe levou todos os inibidores e as torres do Nexus.

Mas League of Legends é um jogo interessante não é mesmo? Bastou um excelente foco por parte da equipe do Santos em Brucer e a partida que muitos já consideravam terminada, ficou mais interessante ainda. A equipe da Vila, que conseguiu um ar com essa luta e a volta dos seus inibidores, puderam sair de sua base para uma última luta. E Brucer até tentou, mas quem brilhou no final foi o outro coreano: Jackpot. As tomadas de decisão nas entradas das fights foram incríveis e conseguia assustar a Team oNe, enquanto o resto dos jogadores faziam a limpa. Uma última luta na frente do Baron, um ACE e uma assustadora leva de superminions entrando na base sem defesas do Santos, os Peixes da Vila arriscaram, puxaram tudo e venceram o terceiro jogo.

Jackpot foi crucial para a vitória do Santos no terceiro jogo da série

O que esperar agora?

É inegável dizer que o hype dessa equipe do Santos é alto. Começaram o Circuitão por baixo, mesmo com grandes contratações e terminaram como um admirável adversário para a elite do League of Legends brasileiro. Assistindo a trajetória desse time do Santos, e focando agora nos coreanos, eu só consigo lembrar de uma outra equipe: a Kabum. Os Ninjas sofreram noCBLoL mas tiveram uma recuperação incrível e conseguiram derrotar o Flamengo na final.

Muitos críticos colocavam a culpa do desempenho ruim da Kabum nos seus coreanos, o que não era mentira, apesar da equipe como um todo não ter encaixado no começo do campeonato. Com a troca de treinador, a Kabum evoluiu e o próprio Abaxial (Coach da Kabum) admitiu que percebeu certos problemas internos com seus jogadores coreanos. Com algumas mudanças de mentalidade e estratégias, tanto os Ninjas como os garotos da Vila fizeram história em seus respectivos campeonatos. Podemos e devemos esperar um Santos muito forte na próxima etapa do CBLoL, ainda mais se o título se transformar em mais investimentos para a equipe. Rapaziada do CBLoL: abram os olhos que o Santos não tá subindo pra brincar não.

Agora, o Santos entra direto no CBLoL na vaga da rebaixada Redemption. A Team oNe terá que jogar contra a INTZ para descobrirmos qual será a última equipe para a próxima etapa do CBLoL 2020. O jogo acontece na próxima terça-feira, às 18h, nos canais oficiais da Riot Games Brasil.

 

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

Road to Rio: Astralis derrota a G2 e é campeã europeia

CLUTCH: RED Canids e W7M se enfrentarão na grande final

CS:GO: DreamHack anuncia formato da Open Summer 2020

Comentários