Liga Escolar Brasileira de Esports: Região Sudeste é a grande campeã

A Liga Escolar Brasileira de Esports foi realizada esse domingo (26) e contou com a participação de alunos das redes publicas e privadas na faixa etária de 13 a 18 anos, que competiram nas modalidades de console, PC e mobile.

O torneio é um projeto educacional que vem recebendo críticas positivas de educadores em todas as regiões do Brasil. Isto porquê a competição foi criada com o intuito de estimular de forma positiva bons resultados acadêmicos integrando o já tão normal hábito de jogar, motivando e criando oportunidades relacionadas ao tão crescente ramo de jogos e esports. Para participar dos torneios da Liga, o aluno deve apresentar bom desempenho escolar e contar com o apoio da escola ou de professores.

Este ano, o torneio foi de Fortnite e teve um recorde de participações com mais de 5 mil alunos inscritos.

Destaques

Sendo o maior campeonato de Esports interescolar, a Liga Escolar Brasileira de Esports pode contar com a participação de 92 jogadores de todas as regiões do Brasil em sua final nacional, o vencedor da competição foi Lucas “SBT thelightx” Destro,  da região Sudoeste.

Lucas “SBT thelightx” Destro – Imagem de Arquivo Pessoal

Ao ser questionado sobre seu desempenho no torneio, Lucas respondeu:

Representei o Colégio Adventista de São Bernardo do Campo. Foi uma competição bastante acirrada principalmente na final, os jogos estavam muito complicados. Então foquei em consistência e tive que utilizar minha noção de jogo. Afinal, se você ver bem eu não fiz 0 pontos em nenhum jogo das finais“, afirmou Lucas.

Falando um pouco mais também sobre sua trajetória:

Desde pequeno eu gosto de jogar, mas eu realmente comecei a me empenhar mesmo em 2016 quando criei meu canal no youtube de ROBLOX e consegui mais de 100 mil inscritos. Aí em meados de 2019 eu resolvi migrar para o Fortnite e até que já estou me dando bem, gosto de vencer por onde passo“, explica o campeão.

O vice-campeão estava participando da Liga pela primeira e foi Lorenzo “CODE Iam-Lord” Prado Dias.

Me sinto bastante lisonjeado! Fico feliz em saber que os jogos eletrônicos estão crescendo, ainda mais voltado para a educação“, afirmou Lorenzo.

Lorenzo demonstra grande promessa no cenário competitivo tendo em vista que como afirma abaixo, não tinha condições adequadas para se tornar um profissional:

“Sempre fui muito competitivo e comecei com os jogos eletrônicos no ano passado, jogando Fortnite. Não tinha um computador bom para obter melhores desempenhos, então comecei a juntar dinheiro para conseguir um computador novo. Depois de 1 ano juntando dinheiro, consegui comprar um computador novo no mês passado e pretendo cada vez mais melhorar minha performance nos campeonatos”, afirmou Lorenzo.

Formato

A final nacional foi desputada por 92 players, os 23 melhores de cada região do país, o formato escolhido foi o de pontos corridos, foram 8 partidas na final com destaques para o Sudeste ocupando primeiro e segundo lugares no pódio, e para o Sul ocupando o terceiro lugar.

A competição de Fortnite contou com a participação de alunos de todo o país buscando o título de melhor player semi-profissional do Brasil.

E para ficar por dentro de todas as novidades da cultura pop de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

CBLoL 2020: paiN na liderança isolada e Keyd afunda

Circuitão: Havan e oNe estão nas semifinais!

Circuitão 2020: Rensga fará estreia de sua jogadora hoje contra a Falkol

Comentários