The Umbrella Academy: Segunda Temporada – Crítica

E a família disfuncional de super-poderosos da Netflix voltou! The Umbrella Academy ganhou sua segunda temporada nessa sexta (31/07), e vemos o desenrolar da fuga desesperada que a primeira temporada terminou.

Bem, então temos que esperar alguns spoilers da primeira temporada né?

Exatamente caro leitor. Mas não vou me aprofundar muito, apenas o necessário. O enredo da primeira temporada gira em torno dos 7 integrantes da Umbrella Academy (bem, são “7”, mas quem viu sabe que está mais para 6,5 do que para 7) e como eles lidam com suas relações familiares.

Bem, como o desenvolvimento dessas relações é o ponto central da primeira temporada, a então ameaça de “um fim do mundo” serve como uma motivação para que os irmãos se unam, sendo a constante da primeira temporada de The Umbrella Academy.

Enfim, é Vanya, a irmã “normal” da família, que era a bomba do Armageddon e com muita dificuldade, eles conseguem parar a irmã em sua fúria destrutiva, porém tarde demais. Isso força Cinco a voltar no tempo com todos eles, e é assim que começamos a segunda temporada.

É, deu para lembrar das principais partes. Mas e como está a segunda temporada?

Primeiramente, caso você, caro leitor, tenha achado meio vago essa breve retrospectiva da primeira temporada, o primeiro episódio dessa nova temporada traz um excelente resumo de tudo que ocorreu, inclusive de uma maneira um pouco cômica, com os atores contando o que aconteceu com eles. Então se te falta ainda um pouco para lembrar, não pule o resumo.

Agora, falando da segunda temporada: ela mantém certos elementos na trama que são bem vindos e bem executados, mas outros que podiam ter sido deixados de lado.

Focar a história e seu desenvolvimento nos irmãos (que são personagens em constante construção) é talvez o principal ponto positivo da série. Porque em si, a história segue sendo sobre os personagens e não sobre um plot em si, afinal, no fim são esses personagens que desecadeam o plot.

Porém nessa temporada há uma reciclagem de plots, o que com alguns é bom, inclusive cria-se discussões e piadas em torno desses, porém outros são um pouco cansativos de serem repetidos. Principalmente a questão de, novamente, Cinco presenciar o fim do mundo, com seus irmãos morrendo e voltando no tempo para impedir mais um fim do mundo.

Esse plot em específico chega a virar uma piada na série, porém o plot “temos que impedir o fim do mundo” é um tipo que, querendo ou não, chama toda a atenção da história para si, afinal é o FIM DO MUNDO, não é um problema que se deixa de lado.

Ao mesmo tempo, temos núcleos de história interessantíssimos em torno dos nossos heróis. Ainda mais nos núcleos de Vanya e Allison, que tinham um potencial muito grande de discussão e relevância, mas que já pro meio da temporada diminui sua relevância para os irmãos terem que resolver o problema do iminente fim do mundo.

Então, essa temporada não está boa?

Não, pelo contrário. Os plots e núcleos individuais são tão bons que já faz a segunda temporada valer a pena por causa deles.

E, mesmo que repetitivo, a existência do “FIM DO MUNDO” é bem encaixado na trama, o problema dela é ser uma repetição, mas sua execução é bem feita.

Além disso, somos apresentados a novos personagens que são muito interessantes, mesmo com os vilões genéricos que essa temporada tem como ameaça a nossos heróis são muito interessantes.

E em termos de ação, a segunda temporada fica bem a frente da primeira, as cenas de ação estão melhor coreografadas, e os efeitos visuais estão mais bem feitos, o que indica um investimento maior da Netflix em The Umbrella Academy.

Em outras palavras, mesmo com problemas que podem desmotivar, a segunda temporada de The Umbrella Academy vale a pena ser vista por causa dos personagens: os que nós já conhecemos crescem mais, e os novos nos surpreende bastante.

Hm… Então no fim das contas o saldo é positivo?

Exato. The Umbrella Academy mantem um nível de qualidade bom para muito bom no enredo, um ótimo desenvolvimento de personagens, e apresenta nessa temporada melhores efeitos visuais e práticos.

Além de ter uma trilha sonora que se encaixa muito bem com a história que está sendo contada, e as atuações em geral manterem uma qualidade mediana-alta.

O núcleo principal atua muito bem, conseguem entregar o que os seus personagens pedem, principalmente Ellen Page (Vanya) e Aidan Gallagher (Cinco), e os coadjuvantes conseguem entregar um bom trabalho, mas também nada surpreendente.

De negativo, destaco apenas a repetição de certos plots, mais pelo fato de estarem sendo repetidos do que pela qualidade de execução deles, que como eu escrevi se encaixa bem na trama.

Dito isto, acho justo dizer que a segunda temporada The Umbrella Academy fica com uma nota de 8,0/10 na escala de qualidade Multiverso+.

Enfim, e o que você achou dessa nova temporada? Agradou? Decepcionou? Escreva nos comentários sua opinião e, para mais notícias de cinema e séries, siga o Multiverso+ nas redes sociais.

Facebook

Instagram

Twitter

 

Leia também:

Ele está de volta! Liam Neeson retorna aos filmes de ação em trailer empolgante

Marie Kondo é foco de documentário na Amazon

Emmy 2020: confira as principais categorias de indicados

Comentários