Como a psicologia faz diferença em times de esports

A Psicologia dos esports (ou esportes eletrônicos) é um campo de atuação novo. Sendo uma vertente da Psicologia dos Esportes, que já é considerada uma ciência recente comparada à história da Psicologia como um todo, podemos colocar em perspectiva o quão recente essa vertente realmente é. A Psicologia do Esporte teve início há cerca de um século, se desenvolvendo mais profundamente somente na década de 1980.

No Brasil, a Psicologia do Esporte teve seu marco inicial a partir da atuação de um psicólogo esportivo no futebol, que participou também da comissão técnica responsável pelo primeiro título brasileiro na Copa do Mundo de 1958.

Segundo a psicóloga esportiva Natalia Zakalski , “quando pensamos na Psicologia dos esports podemos ter a perspectiva de como é um campo de atuação recente, comparando-se aos outros campos da Psicologia. Além disso, obviamente, devemos considerar os esports em si um campo extremamente novo, advindo do surgimento dos videogames e das competições destes.”

 

Objetivos da psicologia dos esports

Tendo isso em vista, a Psicologia dos esports visa principalmente garantir que os atletas apresentem alto desempenho aliado à saúde mental, baseando-se na teoria da Psicologia dos Esportes.

Portanto, o psicólogo dentro do contexto dos esports trabalhará para garantir que os atletas desenvolvam:

 

  • uma mentalidade condizente com o ambiente competitivo;
  • claros objetivos, motivações e metas;
  • estabelecimento de rotinas;
  • treino de reflexos e outras funções cognitivas relevantes para sua modalidade;
  • coesão grupal, quando estiverem inseridos em modalidades grupais;
  • maneiras de lidar com ansiedade;
  • dentro outros aspectos psicológicos.

 

Rotina nos times

Durante a rotina dos times, o psicólogo deve estar inserido no contexto destes atletas. Ele está presente acompanhando treinos e competições, a fim de coletar as demandas que surgem a partir de suas observações desses momentos.

Também é importante que o psicólogo busque as demandas a partir dos próprios atletas e da comissão técnica, consolidando seu trabalho a partir dessas três demandas: observação, dos atletas e da comissão técnica“, afirma Natalia Zakalski

Para o desenvolvimento dessas questões, o psicólogo de esports pode estruturar seu trabalho com atendimentos em grupo e individuais, sendo que cada psicólogo pode dar ênfase em diferentes aspectos. Tudo depende das demandas e de como o grupo se estrutura.

Natalia ainda pondera: “É essencial também que se trabalhe com a comissão técnica, mostrando a eles melhores maneiras de trabalhar com cada atleta, apresentando os repertórios motivacionais dos jogadores ou auxiliando em como passar melhores feedbacks.

 

Equipe multidisciplinar

Além disso, outros profissionais que trabalham com os jogadores podem ser fontes importantes de informação para estruturação do trabalho, como por exemplo, fisioterapeutas e nutricionistas. O trabalho do psicólogo é multiprofissional, sendo necessária a interação com outros profissionais para que tenha maior efetividade. Por exemplo, um jogador que apresenta certa lesão, pode também ser um sintoma de ansiedade, necessitando do trabalho tanto do psicólogo quanto do fisioterapeuta.

E para ficar por dentro do Mundial, esports, jogos, músicas, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

CBLoL 2020: A jornada superando adversidades até a Final

LoL: Mudanças no Mundial aumentam chances do Brasil!

Havan Liberty anuncia maior gaming office da América Latina

Comentários