10 horas Para o Natal: Crítica com spoilers

Estreia nessa quinta-feira (10), nos cinemas em circuito, o novo filme brasileiro da Paris Filmes: 10 Horas Para o Natal. O Multiverso+ já assistiu e conta tudo para vocês.

O Enredo

10 Horas Para o Natal conta a história da família Silva, que era muito feliz até os pais decidirem se separar.

Desde então os Natais da família nunca mais foram iguais e, para piorar, a mãe Sônia (Karina Ramil) é médica obstetra e é chamada justamente na véspera de Natal para realizar um parto de gêmeos. Na pressa, Sônia deixa os três filhos na casa do ex-marido Marcos Henrique (Luis Lobianco), que estava saindo para o trabalho, mas diz que não tem problema, pois a mãe dele já estava voltando da feira.

Os três tiveram boas intenções: preparar o melhor Natal de todos para reunir a família novamente. Pronto, o circo estava armado para Julia (Giulia Benite), Miguel (Pedro Miranda) e Bia (Lorena Queiroz) fazerem bagunça sem supervisão, e assim partiram para um centro comercial de São Paulo.

As crianças

A dinâmica dos três evolui. No começo, os três são bem hostis uns com os outros, brigando bastante e representando bem uma família “quebrada”.

Julia parece carregar duas malas sem alça, mas as carrega por obrigação como irmã mais velha. Miguel, o do meio, parece meio perdido querendo agradar e conquistar aprovação. Por fim, Bia é a caçula chorona e mimada, que resolve tudo com berros ou chantagem emocional fazendo uma cara fofa.

A relação dos três no começo do filme não é um bom exemplo para nenhuma criança, principalmente a Bia. Mas com o passar do dia os irmãos vão se ajudando e os laços fraternos vão ficando mais fortes na esperança de reunir a família novamente.

Correria para o Natal

A trama traz uma quebra de expectativa, pois normalmente em filmes assim as crianças fazem tudo sozinhas e os pais são uns bobos que não sabem de nada e/ou não conseguem acompanhar. Marco Henrique descobre o paradeiro de seus filhos e corre atrás apavorado e ao encontra-los acaba se tornando cúmplice do plano natalino.

É fofa a relação de Marco Henrique com Julia. Os papéis de pai e filha muitas vezes se invertem com a menina e os dois atores trazem uma dinâmica muito boa para seus personagens, que parecem realmente se conhecer de longa data.

A cena da briga pelos patins na loja de brinquedos pode ser comparada a uma versão moderna de Um Herói de Brinquedo (1996). Agora com a participação de uma criança junto para trazer uma nova ação para a cena.

Há também um momento musical com a música natalina que a Júlia não aguenta mais ouvir. Porém, a cena não fez o menor sentido, sendo totalmente dispensável.

Desfecho

O filme segue um ritmo crescente de alegria com a família dando um check em tudo de sua lista, até que, claro, o clímax acontece com eles perdendo tudo que suaram para conquistar ao longo do dia.

A partir daí o roteiro seguiu por alguns caminhos questionáveis. É absurdo um mendigo dar o peru de Natal para a família classe média alta por ele não ter onde cozinhar o animal e os Silva simplesmente aceitarem e seguirem com a vida como se fosse natural conseguirem o que precisam e pronto. Para não ficar feio demais, a única pessoa sensata foi a Julia que, embora tenha hesitado, voltou para convidar Leon para a ceia.

O mendigo Leon é observador e presente desde o início do filme. Então, chega a ser até previsível que ele poderia ser o Papai Noel, mas mesmo após Leon/Noel entregar presentes para as crianças, a família o esnoba totalmente.

Julia parece ser a única a perceber de fato a magia natalina por trás da presença de Leon/Noel e assim o desfecho da trama não foi tão vivo e animado quanto o restante da história. Mas final a parte, de modo geral 10 Horas Para o Natal é um bom filme.

Assista também os pedidos que os atores fariam para o Papai Noel, clicando aqui.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

CCXP Worlds 2020: Esquadrão Suicida revela detalhes inéditos

Alfred Molina voltará ao papel de Doutor Octopus

M+ Podcast 44: Conversa com a Turma do Sextou

Comentários

Clarissa Montalvão

Formada em Comunicação Social pela UFRJ. Pode me chamar de Cla ou Clari. Estou sempre de olho no mundo dos esports para trazer o melhor conteúdo para vocês. E adoro maratonar séries e filmes nas horas vagas! Então podem esperar algumas críticas de produtos audiovisuais bem mainstream por aqui também.