Army of the Dead, de Zack Snyder: A crítica

Depois de ter acabado de lançar seu tão aguardado Justice League: Snyder Cut em março de 2021, aqui temos mais uma obra do nosso querido Zack Snyder.
E dessa vez ele não rretorna com a parceria de anos com a Warner Bros. Porém, a Netflix deu carta branca para o diretor fazer seu filme. O filme tem um prólogo bastante demorado e parado. A ação demora um pouco para começar, tentando apresentar personagens em excesso, sem nem aprofundar um pouco as suas histórias.
Army of the Dead
Divulgação/Netflix

Zack Snyder e seu ”Esquadrão Suicida” contra zumbis

Não é um exagero pensar que esse filme tem uma vibe ”Esquadrão Suicida”, na qual a única diferença é: Junte o máximo de malucos possíveis para invadir uma Las Vegas totalmente isolada do mundo, dominada por zumbis inteligentes, e até um tigre zumbi.
O grande objetivo dos personagens é conseguir se infiltrar na cidade e recuperar milhões de dólares que estão no cofre de um hotel. Alguns personagens parecem ter outros objetivos, mas a questão foi totalmente superficial, fazendo o filme focar totalmente na ação, que é realmente o objetivo final.
ARMY OF THE DEAD (Pictured) DAVE BAUTISTA as SCOTT WARD in ARMY OF THE DEAD. Cr. CLAY ENOS/NETFLIX © 2021
O filme tem um roteiro bem genérico. Basicamente é uma história que se encaixa como um roteiro simples de um game de zumbis, com vários personagens e suas funções diferentes. Seja o personagem do Dave Baudista (Guardiões da Galáxia), um militar veterano e líder da missão, ou outros personagens com características diferentes, como a piloto, e um especialista em abrir cofres, etc. Em suma, o filme é um verdadeiro misto de The Walking Dead com GTA V.
Contudo, cumpre o objetivo principal: Entreter quem está assistindo, com boas cenas de ação, muito sangue, explosões e uma pitada de humor (principalmente nas cenas em que os zumbis não seguram as mordidas).

Problemas na produção de Army of the Dead

O filme passou por momentos complicados em que nenhum diretor gosta de passar. Quando o filme já estava praticamente pronto, um escândalo é relevado envolvendo um dos atores principais da trama.
O ator Chris D’Elia foi acusado por várias mulheres de assediar sexualmente meninas menores de idade. Assim, alguns milhões de dólares foram gastos com o CGI, só para remover digitalmente o ator de todas as cenas do filme, fazendo o orçamento passar do limite. O ator foi substituído pela comediante Tig Notaro.
ARMY OF THE DEAD / NETFLIX © 2021

Com o orçamento de U$ 90 milhões, Army of the Dead é um típico filme para se assistir numa tela de cinema.

Mas, afinal quem imaginava que nos tempos de hoje filmes assim seriam feitos diretamente para streaming? Para quem for um tremendo fã de Zack Snyder, Army of the Dead é prato cheio, com a marca do diretor, seja com seus famosos slow motions em momentos dramáticos, quanto o retorno de cores mais vivas em suas cenas, sendo totalmente o oposto de seus últimos filmes.

Até para quem é fã de filme de zumbis, também vale a pena dar uma chance para o filme.

Army of the Dead já está disponível na Netflix!

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter. 

Leia mais: 

O Falcão e o Soldado Invernal: Crítica | Multiverso+ (multiversomais.com)

Amor e Monstros: Crítica com spoilers | Multiverso+ (multiversomais.com)

Mortal Kombat (2021) – Crítica Sem Spoiler

Comentários
+ posts

Cursando Jornalismo,Potterhead, Marvete, Dcnauta, Sherlock..aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah muita coisa !

Raphinha

Cursando Jornalismo,Potterhead, Marvete, Dcnauta, Sherlock..aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah muita coisa !