Dragon Quest: Your Story – Crítica

A Netflix e os fãs de games já tem a algum tempo uma história juntos, podendo os assinantes do serviço encontrar no catálogo filmes como Warcraft, Tomb Raider, Mortal Kombat, e inclusive produções próprias como a incrível série de Castlevania.

E agora, a locadora vermelha trás mais uma adaptação. Dessa vez de um dos mais clássico jogos de JRPG de todos os tempos: Dragon Quest!

Pô legal! … Mas que jogo é esse?

Bem, se você fez essa pergunta, é até compreensível já que o primeiro Dragon Quest foi lançado em 1986 para o Super Nintendo, tendo até hoje gerado onze jogos da franquia, sendo o último lançamento Dragon Quest X: Ibara no Miko to Horobi no Kami Online de 2019.

Como podem ver é uma franquia ainda muito viva, e uma das mais populares no Japão, tendo uma equipe de produção incrível que inclui nomes como o de Akira Toriyama (sim, o mesmo criador de Dragon Ball).

Hm… Interessante. Mas você não disse muito sobre a história do game.

Bem, isso é algo que eu estou evitando, pois o filme pega justamente a história de um dos jogos (Dragon Quest V) como base, e assim como outras franquias de JRPG, nem sempre os lançamentos dos jogos representem uma continuação da história contada no anterior.

Entendi. Mas e o filme?

Bem, o filme conta a história de Luca, um jovem guerreiro que viaja o mundo com seu pai em busca de encontrar e resgatar sua mãe do maligno Ladja. Essa é a sinopse mais simples possível sobre o enredo, mas que ao mesmo tempo não entrega nada do que vai acontecer.

Ah, mas quem já jogou não vai ter surpresa nenhuma.

Sim e não. De fato algumas coisas que você vê no filme não serão uma completa surpresa se você já jogou o Dragon Quest V, mas, assim como todo bom RPG, a história é guiada nas decisões do jogador, e nisso o filme consegue passar muito bem, no início de forma mais implícita, mas depois é apresentado a questão das decisões do jogador no decorrer da história.

E não é apenas isso que Dragon Quest: Your Story consegue ir bem, a animação do filme é muito bem feita. Diferente até mesmo de alguns animes e animações 3D que podemos encontrar no catálogo da Netflix, o acabamento do CGI desse filme é realmente muito bom, destacando-se muito de outras produções japonesas que usam esse mesmo recurso.

Um filme de CGI bem feito. Aí anima ver!

De fato a animação é realmente legal de ver, mas em outros quesitos Dragon Quest: Your Story deixa a desejar, principalmente na questão da narrativa, que é muito corrida e não consegue se muito bem sucedida na construção da empatia do telespectador com a maioria dos personagens (acabei o filme só me importando mesmo com no máximo 3 personagens), e o filme não consegue passar as informações de forma clara: por exemplo, uma personagem MUITO importante é apresentada no meio de um diálogo no início do filme. Não é dado tanto destaque quanto a importância que essa personagem tem para o filme.

Na última parte, o roteiro nos revela uma informação que muda completamente a visão que o filme tinha estabelecido, e é nesse momento que o filme vira uma grande homenagem não apenas aos fãs da franquia, mas aos fãs do gênero RPG como um todo, e sendo bem justo é uma homenagem muito bonita e tocante. Mas mesmo isso não o suficiente para fazer de Dragon Quest: Your Story um filme realmente bom.

No fim, acho que uma nota apropriada seja 6,5/10 na escala Multiverso+. Talvez para os fãs, que cresceram jogando jogos da franquia o filme tenha um valor mais especial, mas como apenas uma obra cinematográfica, ela deixa a desejar em pontos muito importantes.

E você? O que achou de Dragon Quest: Your Story? Deixa nos comentários sua opinião. E para ficar por dentro de todas as novidades da cultura pop de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

LEIA TAMBÉM:

Netflix: “Eu Nunca…” disse que seria apenas 1 Temporada!

Filme da Netflix, Power, com Rodrigo Santoro ganha trailer

Netflix: Filmes e Séries que chegam a plataforma em julho

Comentários