Morre Zé do Caixão, pai do terror brasileiro

O cineasta paulistano José Mojica Marins, ou Zé do Caixão como ficou mais conhecido em todo o país, morreu nesta quarta-feira (19), aos 83 anos. Ele estava internado no hospital Sancta Maggiore desde o dia 28 de janeiro e faleceu devido a uma broncopneumonia. O velório ocorre nesta quinta-feira e será aberto ao público no MIS-SP.

O cineasta, nascido em uma sexta-feira 13, se tornou um dos mestres do terror mundial. O artista começou sua carreira com 17 anos e de lá para cá assinou a direção de mais de 40 filmes e protagonizou mais de 60, entre curtas, longas, documentários e séries.

Em 1964, Mojica ganhou o apelido de Zé do Caixão com o filme “À Meia-Noite Levarei sua Alma”. No filme, ele interpretava um agente funerário sádico e o famoso personagem aparece também em outros longas: “Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver” (1967), “O Estranho Mundo de Zé do Caixão” (1968) e “Encarnação do Demônio” (2008).

Mojica também participou da produção de materiais para outros gêneros, dentre pornochanchada, aventura e faroeste. Além disso, o diretor foi um grande influenciador do movimento do cinema marginal brasileiro nos anos 60.

Em 2014, o artista sofreu um infarto e poucos meses depois foi internado devido a uma piora nas funções renais. Desde então seguia afastado das mídias.

Comentários