Os 7 de Chicago – Crítica Sem Spoilers | Multiverso+

Os 7 de Chicago – Crítica Sem Spoilers

 Os 7 de Chicago (The Trial of the Chicago Seven) é um filme original Netflix com várias indicações ao Oscar 2021 

O longa é escrito e dirigido por Aaron Sorkin, roteirista de A Rede Social, The Neewsroom, Steve Jobs e muitos outros. A qualidade dos diálogos de Sorkin é indiscutível, porém a falta de experiência como diretor deixa seu trabalho mediano. 

 O filme conta com um excelente elenco incluindo nomes como Yahya Abdul-Mateen II, Sacha Baron CohenEddie Redmayne, Joseph Gordon-Levitt, e Michael Keaton 

julgamento

Um pouco de contexto 

Eis o cenário da época: final da década de 60, guerra do Vietnã se mostrando um desastre para os Estados Unidos. Martin Luther King e John Kennedy haviam sido assassinados a pouco tempo e Ronald Reagan estava prestes a se eleger presidente. Ou seja, nessa época os Estados Unidos era um barril de pólvora prestes a explodir.  

Nesse cenário vários grupos ativistas de diferentes vertentes (os Panteras Negras, os Yippies, movimentos de estudantes e até cidadãos comuns) resolveram organizar um gigantesco protesto em frente a Convenção do Partido Democrata de 1968. O objetivo era fazer um enorme protesto pacifico, marchando por Chicago até chegar na porta da convenção.  

Em algum momento, o inevitável confronto com a polícia acontece e a situação sai do controle. O que era um protesto pacifico agora é basicamente uma zona de guerra civil.  

O filme conta a história do julgamento dos 7 organizadores e um outro réu, para determinar quem iniciou a violência, se foram os policiais ou os manifestantes.  

 

Prazer na revolta

Contar uma história de tribunal é uma tarefa complicada, pois pode se perder em tecnicalidades jurídicas e tornar a história monótona. É nessa hora que o brilhantismo de Aaron Sorkin e o elenco de peso entram em cena. Fazendo alterações entre o julgamento, flashbacks dos protestos e imagens reais do que aconteceu o filme ganha muito dinamismo, fazendo com que as 2 horas de filme passem sem que você perceba.  

Apesar de ser um tema pesado, afinal estamos falando de injustiça social, racismo e conspirações de governo; o filme consegue manter um clima leve, exceto quando o diretor quer que você veja a seriedade do que está acontecendo e o que está em jogo.  

Os 7 de Chicago é um filme que nos lembra da importância de lutar por alguma coisa. Mesmo que as circunstancias pareçam injustas e que todo o sistema pareça estar trabalhando contra o bem comum. O longa ressalta o espirito de luta, usando os fatos da época pra ilustrar problemas contemporâneos. Usando o protesto da época e o grito de guerra usado na manifestação como palco.

  

“The whole world is watching!” O mundo todo está vendo.  

O filme disputa pelas estatuetas do Oscar 2021 de Melhor FilmeMelhor Ator Coadjuvante para Sacha Baron CohenMelhor Roteiro Original para Aaron SorkinMelhor EdiçãoMelhor Fotografia e Melhor Canção Original para Hear My Voice”, de Celeste. 

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter. 

Leia mais: 

O Som do Silêncio – Crítica sem spoilers | Multiverso+ (multiversomais.com)

A Voz Suprema do Blues – Crítica Sem Spoilers | Multiverso+ (multiversomais.com)

Opinião: A importância da representatividade em grandes premiações (multiversomais.com)

Comentários

Host do podcast Multiverso + e amante de cinema e qualquer tipo de história bem contada!

Felipe Marcel

Host do podcast Multiverso + e amante de cinema e qualquer tipo de história bem contada!