CS:GO: FURIA vence a Rebirth e é campeã do Rainhas do Clutch

A FURIA venceu a Rebirth Esports por 2 a 0 e se consagra campeã do Rainhas do Clutch. A final Md3 aconteceu nesta segunda-feira (9). Além do título, a FURIA recebeu a premiação de 1,5 mil reais. Já a vice Rebirth, recebeu 700 reais.

O Confronto

O primeiro confronto foi na Overpass, pick da FURIA. As panteras começaram abrindo vantagem com suas ofensivas de TR. A Rebirth tentou se recuperar, mas as quebras de economia não deixaram a equipe virar no primeiro half. Na segunda metade, a FURIA executou um lado CT agressivo em cima das adversárias, não deixando espaço para a Rebirth. Como resultado, a FURIA venceu o primeiro mapa por 16 a 5.

A segunda partida aconteceu na Vertigo, pick da Rebirth. A FURIA continuou agressiva, quebrando as jogadas da Rebirth. Como resultado, abrindo uma larga vantagem no primeiro half. No segundo half, as panteras continuaram com sua dominância. Entretanto, a Rebirth se encontrou no fim do jogo, mas não evitou a derrota no segundo mapa. Por fim, a FURIA venceu a Rebirth por 16 a 7.

Pós jogo

Tofer

Em entrevista coletiva, a jogadora da Rebirth, Gabriela “tofer” Tofer respondeu sobre o que faltou para a equipe conquistar o título:

Acho que faltou uma leitura melhor do jogo delas [FURIA]. Elas estão muito bem em todos os mapas, inclusive na Overpass, que a gente treinou muito. A gente veio se preparando há um tempo, mas elas foram superiores em diversos aspectos. Faltou a gente acalmar o jogo, dar uma conversada. Acho que foi mais a emoção de estar jogando uma final”.

Mesmo com vice-liderança, Tofer comenta que não tinha expectativa de chegar tão longe, devido ao pouco tempo com a line up e a concorrência na competição. “Mas sempre confiamos na gente. Estamos treinando muito juntas para tentar correr um pouco mais, porque as equipes grandes no cenário estão há muito tempo juntas [em uma line], como a FURIA, Black Dragons e a 9z Team. Então meio que a gente tá tentando dar uma corrida agora para conseguir se classificar na GC Masters que acontece em dezembro” reforça Tofer.

Nandinnn

Também na coletiva, o coach da FURIA, Fernando “nandinnn” Serikawa, respondeu sobre a adaptação da jogadora Gabriela “gabee” Velasco na equipe. Em substituição da Bruna “bizinha” Marvila, que pediu sua saída da organização em outubro:

A gente trouxe a Gabbe já sabendo de todos os potenciais que ela tinha, então o desafio não foi a parte de substituição, mas dela entrar e não ter essa pressão. A gente tem que usar todos os meios possíveis para isso não acontecer, e ela respondeu de uma forma muito positiva, desde o primeiro treino que a gente fez junto e até os jogos de campeonato”.

Sobre os próximos planos, o coach comentou que a equipe fará um bootcamp na Gaming House da FURIA, em São Paulo. E comenta que a equipe não visa somente ser a melhor equipe do cenário feminino:

Acho que o nosso principal objetivo, principalmente agora com esse bootcamp. É realmente visar o cenário misto também. Temos a pretensão de subir cada vez mais nas ligas existentes, pra mostrar uma coisa que nunca ninguém esperou de um time feminino”.

O Campeonato

Com a parceria da Sakura Esports, a You Go Girls e Garam Ops. A Rainhas do Clutch foi organizado pela Federação do Estado do Rio de Janeiro de Esportes Eletrônicos (FERJEE). A competição contou com a presença de 16 equipes em busca do título. Além de fomentar o cenário feminino, o torneio teve o objetivo de conscientizar sobre o câncer de mama e ao combate à violência contra a mulher.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Leia também:

CS:GO: GC anuncia qualificatórias da Masters Masculina e Feminina

Free Fire Continental Series: Entenda tudo sobre o campeonato

Crítica: O Gambito da Rainha – Sem spoilers

Comentários

Caio Rozendo

Sempre atento no mundo do cinema, games e esports. Atualmente acompanho o cenário de CS:GO.Jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi.