CS:GO: FURIA vence e é finalista do Rainhas do Clutch

A FURIA carimbou sua vaga na final do Rainhas do Clutch depois de vencer a Workhard Team em uma série impositiva. Na busca por mais um título em 2020, as panteras enfrentarão a Rebirth na segunda-feira (9).

Kah e Gabs FURIA
Kah e Gabs jogaram soltas na semifinal (Foto: FURIA/divulgação)

O jogo

A série melhor de três mapas teve início na Vertigo, escolha da Workhard. Com um rápido rush na rampa do bombsite A e boas trocas, a Workhard garantiu o pistol para iniciar na vantagem. No round forçado, a FURIA bem que tentou agrupando todas as jogadoras para o confronto no bombsite A, mas Lari tirou um abate triplo da cartola para garantir a conversão do round e do eco seguinte – 3×0 para a Workhard.

O primeiro round armado, no entanto, ficou com a FURIA. Ainda assim, com a economia forte, a Workhard comprou e devolveu em mais um round bem trabalhado, explorando bem os espaços e as rotações da Vertigo.

Quando a economia estabilizou novamente, a FURIA contou com uma forte defesa do bombsite da B e bons rounds de GaBi e Izaa para encaixar uma sequência de rounds até o empate – 5×5.

O domínio da FURIA seguiu, com primeiros abates e abates múltiplos para garantir a primeira metade da Vertigo por 10×5 no placar.

Lados trocados, mas novamente a rampa do bombsite da A foi o espaço a ser dominado no round pistol. 

A FURIA jogou rápido, apostando na mira e no momento ganho durante a partida para converter o pistol e seguir, sem dar chances para as adversárias – foram 15 rounds seguidos para chegar em 16×5 no primeiro mapa da série.

Overpass

Na escolha da FURIA, mais um pistol rápido com um rush no bombsite B. Com quatro abates e vitória na situação de clutch, GaBi garantiu o primeiro round para a FURIA. Nos dois rounds seguintes, com a economia fragilizada da Workhard, mais dois pontos para a conta das furiosas.

O primeiro round armado seguiu o script: FURIA forçando no bombsite B, com agressões na região do sapão e do cimento, boas trocas e round convertido. O ritmo da FURIA seguiu até que a reação da Workhard veio a partir de boas leituras no lado CT, com a equipe convertendo três rounds para diminuir a desvantagem – 7×3 para a FURIA.

As equipes trocaram rounds e depois só deu FURIA até o fim da primeira etapa, com 11×4 no placar.

Ao trocarem lados, mais um rush no bombsite B por parte da equipe terrorista, dessa vez a Workhard. A entrada teve sucesso e a equipe converteu o primeiro round, além dos dois seguintes para respirar na partida – 11×7 para a FURIA.

Dali pra frente, só deu FURIA. Mostrando como joga a melhor equipe feminina do Brasil, as panteras esbanjaram trabalho em equipe, com gabs, gabeee e Kah jogando soltas e garantindo diversos abates importantes. A vitória veio por 16×7 na Overpass.

Rainhas do Clutch: final promete grande jogo

Com campanhas impressionantes, as duas equipes finalistas do Rainhas do Clutch prometem uma partida pegada na grande final. 

A série melhor de três entre FURIA e Rebirth ocorre na segunda-feira (9), às 20h, com transmissão na Twitch da FERJEE. Simultaneamente, na Twitch do Multiverso+, ocorre a disputa do terceiro lugar entre SWS Gaming e Workhard Team.

O torneio Rainhas do Clutch possui premiação total de R$ 2.500, com R$ 1.500 para as campeãs, R$ 700 para as vices e R$ 300 para as terceiras colocadas. O Multiverso+ é um dos apoiadores da competição.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Leia também:

CS:GO: Rebirth vence a SWS e está na final da Rainhas do Clutch

M+ Podcast 40 – Halloween 2020

CS:GO: GC anuncia qualificatórias da Masters Masculina e Feminina

Comentários

Júlio Desordi

Gaúcho, jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), sediado em Florianópolis (SC).Tenho a mira cansada, mas conheço os atalhos.