FAR: Lone Sails – Análise – A beleza na solidão

FAR: Lone Sails é um desses títulos pouco conhecidos, talvez por ser o primeiro trabalho de uma produtora, mas ainda sim é impecável e inesquecível. Foi desenvolvido pela Okomotive, um grupo de estudantes que se juntou para terminar esse trabalho. Seu projeto inicial ocorreu em 2015 e a versão final foi lançada em 2018. É uma narrativa muda, genêro popularizado por “Limbo” e exerce seu papel muito bem.

No jogo, você é Lone e precisa “velejar” com seu grande veículo que parece mais um trem-barco. Possui uma gameplay simples, mas no ínicio você precisa entender sozinho como seu companheiro de viagem funciona. É basicamente feito de puzzles, mas nenhum muito díficil. Não é algo pra alguém que deseja dificuldades, é algo pra alguém que quer curtir uma aventura lúdica e bonita.

Como qualquer narrativa muda, é uma aventura atmosférica. Você precisa desbravar o mundo em que os oceanos parecem ter secado e existem diversas catástrofes naturais. Apenas você e seu companheiro, que te dá certa sensação de segurança: você estar longe dele parece trazer um desconforto, uma torcida para que nada de mal esteja pra acontecer.

Essa sensação existe pelo simples fato do sentimento que é despertado muito bem pelo jogo: a solidão. Você é pequeno em um vasto mundo, seu veículo é pequeno também, você encontra várias coisas, cria expectativas, teorias, mas não encontra ninguém. E aqui vai um dos melhores pontos presentes no jogo: A trilha sonora. Por mais que não seja constante, aparece nos momentos certos e desperta as emoções mais sinceras, geralmente quando você está velejando sem problemas(e já passou por muitos) e torna toda a aventura, junto com o cenário, uma arte genial.

O mundo apresentado pode ser lindo, mas continua triste, depressivo e intrigante. A sociedade parece ter tentado fugir sempre, por isso existem vários resquícios ali, mas, afinal, pra onde estou indo? Cada descoberta marca o jogador e também o prende por mais. O universo apresentado também é magnífico, podendo a empresa explorar o mesmo.

O jogo é feito todo em tons de cinza, cobre e branco. O que mostra sua “preocupação” com a arte, que torna uma aventura incrivel por si só, em uma aventura única e deslumbrante.

Sem mais delongas: FAR: Lone Sails é uma obra de arte em forma de jogo. Com uma aventura solitária, uma trilha sonora e uma arte marcante, cativa o jogador e o prende. O seu único defeito é durar apenas 4 horas e não ser de fato “rejogável”. Assim, merece nada mais nada menos que um 9/10

NOTAS

Gráficos: 10/10
Enredo: 9/10
Gameplay: 8/10
Som: 10/10

Geral: 9/10

Boa viagem, navegador!

Veja mais análises nossas!

Comentários