Games já faturam mais que cinema, música e TV juntos

Atualmente, a indústria de games é a maior indústria do entretenimento. Não só isso como esse setor já fatura mais do que cinema, música e televisão juntos. Esses números foram apresentados por Thomas Felsberg, Co-fundador e Chefe de Parcerias Estratégicas da BBL, Home-BBL e Esports, uma empresa especializada em “soluções de entretenimento”, fazendo a ponte entre anunciantes e o público.

Os números foram apresentados no evento Inovatic 2020, um evento que reúne grandes nomes do ramo de tecnologia e das empresas provedoras de internet que atuam no Brasil. De acordo com Felsberg, a pandemia possibilitou um crescimento ainda maior da indústria de games, que tem um faturamento muito próximo dos US$200 bilhões.

Imagem mostrando Thomas Felsberg e um gráfico mostrando o crescimento da indústria de games
Gráfico apresentado por Thomas Felsberg na Inovatic. (Reprodução/tele.síntese)

Ainda segundo ele, o Brasil tem o terceiro maior público gamer do mundo, o que lhe coloca numa posição extremamente estratégica dentro do mercado internacional. Assim, os únicos dois maiores mercados em relação ao nosso país são China (900 milhões) e Estados Unidos (270 milhões). Dessa forma, a importância dos brasileiros dentro da participação de lucros da indústria como um geral fica bem clara.

Mercado de games: no Brasil e no Mundo

Algo à se ressaltar é o grande crescimento da participação de smartphones no público mundial, com aproximadamente 40% da preferência total. Explica-se isso por fatores como o barateamento no custo dos celulares e a facilidade no acesso, em comparação com consoles e PC. Mesmo assim, ambos alcançaram 30% de preferência cada um.

Além disso, Felsberg ressaltou o grande aumento da participação dos setores relacionados à indústria de games no mercado de trabalho. Isso tem influenciado, também, no mundo da educação, que precisa formar profissionais para uma exigência do mercado.

Nossos maiores desafios

Ao contrário da China e dos Estados Unidos, onde a participação da população no mercado é acima dos 80%, menos de 50% da população brasileira participa de alguma forma no consumo de games. Por isso, segundo Felsberg, o maior desafio para o crescimento desse público no Brasil é o aumento da conectividade, um problema ainda enfrentado diariamente pelo público gamer  do país.

De acordo com o site Olhar Digital, as reclamações contra provedoras de internet aumentaram em 26% este ano. Dessa forma, indica-se a fragilidade do sistema de banda larga brasileiro, que ainda sofre dificuldades com uma possível expansão no consumo.

Por fim, para Felsberg, há duas coisas essenciais para a expansão do mercado no Brasil: a liberação integral da faixa de 6 GHz para o Wi-Fi 6e e a regulamentação do 5G. “Essas duas tecnologias tem o pareamento perfeito para menor latência”, conclui.

Comentários
+ posts

Sempre me chamam por Muri! Sou fanático por jogos de RPG e de ritmo. Também tenho fascínio animações e quadrinhos japoneses (animes e mangás), bem como pelo cenário musical nipônico. Atualmente estudo Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero.

Murillo La Fonte

Sempre me chamam por Muri! Sou fanático por jogos de RPG e de ritmo. Também tenho fascínio animações e quadrinhos japoneses (animes e mangás), bem como pelo cenário musical nipônico. Atualmente estudo Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero.