Ratched: Crítica da primeira temporada

Ratched é uma série da Netflix que vem para agradar o público que se interessa pelos clássicos. Mas será que conseguiu?

Sendo um spin-off do conhecido e aclamado livro Um Estranho no Ninho, a série entra para o hall de adaptações da locadora vermelha e o Multiverso+ traz para você o que essa série tem a oferecer.

Ratched
Imagem: Divulgação

Antes de mais nada, me explica essa coisa de spin-off

Bem, é por aí mesmo que vamos começar.

Primeiramente, é importante dizer que não é preciso ter lido o livro Um Estranho no Ninho ou visto sua adaptação cinematográfica para entender essa série. Lógico que saber um pouco de onde saiu a personagem Ratched ajuda a ter uma compreensão melhor da série, mas não é necessário.

Ratched é uma série criada para explicar o passado da personagem com esse mesmo nome e se passa nos anos 50, na Califórnia, onde vemos a enfermeira Ratched começando a trabalhar no hospital psiquiátrico de Lucia, onde um assassino em série está para ser transferido, e isso tem certa ligação com a nossa protagonista.

Essa é a sinopse da série, e é a ligação entre Ratched e Edmund (o assassino em série) que guia a série em suas tramas, mas que possui sub-tramas que tem um desenvolvimento independente até determinado ponto.

Entendi, mas como se desenrola essa história da série?

Bem, a série em si não se desenvolve de uma maneira inesperada. Inclusive podemos dizer que certos acontecimentos são até que previsíveis depois que um personagem X ou Y é apresentado.

A série em si se apoia menos em um roteiro mirabolante e mais em personagens interessantes. E nisso Ratched até que acerta bastante. Personagens como a Ratched, Edmund, Dr. Hanover (diretor do hospital), Gwendolyn (secretaria do governador), entre outros são bem escritos e os atores fizeram um ótimo trabalho.Na questão dos personagens não se tem muito mais o que falar além de que eles foram muito bem feitos.

Mas existem certas escolhas de roteiro e direção que comprometem um pouco o desenvolvimento da série. Por exemplo: o primeiro episódio é um episódio um pouco confuso. Tudo que acontece nele tem pouca explicação e inclusive algumas coisas são muito convenientes para a trama.

Além disso, principalmente do primeiro ao terceiro episódio, a série apresenta cenas de violência muito explícita e, sinceramente, não tão necessárias para se criar um clima de terror.

Até porque da metade da série em diante a característica de terror é quase que completamente abandonada.

Espera aí. Então a série muda de tom da metade em diante?

Sim. Do quarto episódio em diante, Ratched assume um tom muito mais de suspense e se pauta mais em intrigas de um personagem manipulando outros do que na trama de uma enfermeira estar planejando a fuga de um assassino em série.

E por causa da motivação de personagens secundários, a trama também assume características de um romance proibido, de um romance trágico, e até de uma trama de vingança.

A série aos poucos vai amontoando tantos tons de trama no decorrer dos episódios que o fim dela destoa muito do início. No primeiro episódio vemos Ratched querendo libertar Edmundo, e no fim os dois estão se declarando inimigos ao ponto de até terem um “time” para cada um.

Tudo bem que isso possa ser visto como um virada inesperada, mas a forma como foi construída é muita fraca mal executada.

Ok, confuso isso. Mas então como fica essa temporada no fim das contas?

No fim a série fica muito mediana, entre as boas atuações, personagens interessantes e a trama muito confusa da série, que muda de objetivo a cada dois episódios.

Ela ser uma série de época tem um porque para encaixar certos elementos como normais; por exemplo: certos preconceitos como homofobia, a normatização de procedimentos médicos como a lobotomia, a atitude machista do governador, etc… Porém justamente pela série ser de época que a mudança de atitude de alguns personagens fica estranho.

Se por um lado ajuda ter elementos pertinentes e que ajudam a dar atenção à discussões atuais, por outro a atitude (que para nós hoje é positiva) de certos personagens não condiz com a época em que se passa a série.

Por fim, Ratched é uma série bem intencionada, com boas atuações, mas com uma direção e roteiro sofríveis. E por isso é justo uma nota de 6,0/10 na escala de qualidade Multiverso+.

E você? O que achou da série? Escreva nos comentários sua opinião e para mais notícias de séries e cinema siga o Multiverso+ nas redes sociais.

Facebook

Instagram

Twitter

Leia mais:

Henry Cavill não participará das refilmagens de Liga da Justiça

Enola Holmes: Crítica da nova produção original da Netflix

Zendaya: 4 produções que a vencedora do Emmy participou

Comentários