Stranger Things: nova temporada é assustadora na medida certa

Stranger Things: nova temporada é assustadora na medida certa

Depois da grande espera, Stranger Things chegou nesses últimos dias na plataforma da Netflix. Confesso que demorei um pouco para digerir todos os episódios da trama, que por sinal se desenvolveram muito bem para o grand finale, que estreia no mês de julho.

A história é a continuação das outras temporadas: Depois de seis meses do conflito de Starcourt, a cidade foi tomada por um rastro de terror e destruição. Os efeitos da batalha são sentidos pelo grupo de amigos, que se separam pela primeira vez, enquanto passam por um período turbulento típico da adolescência na escola. Em um momento em que todos estão mais vulneráveis, uma nova ameaça sobrenatural surge. No entanto, o novo mistério pode conter a resposta para acabar com os terrores do Mundo Invertido.

Stranger Things volta ainda mais sombria, muito porque as crianças que vimos lá atrás na primeira temporada cresceram, abrindo caminho para uma história pra lá de horripilante.

CONTÉM SPOILERS

 

NOVOS PERSONAGENS

Confesso que quando descobri que teriam novos personagens, imaginei primeiramente no descontrole de roteiro e na possível falta de conexão com os outros personagens, que são um dos pontos altos da trama. Mas me enganei. Stranger Things 4 adicionou Eddie Munson, o líder dos Hellfire e Argyle, o novo amigo de Jonathan Byers. E os dois foram um acerto e tanto na série! Enquanto Eddie é um nerd roqueiro que joga D&D, Argyle é sensível, maconheiro e com um grande coração.

Eddie Munson In Stranger Things
Eddie Munson In Stranger Things

Além deles, Jason (Mason Dye) é o Capitão do time de basquete do colégio do ensino médio de Hawkings, bonito e popular.  Chrissy (Grace Van Dien) é a capitã das lideres de torcida, Patrick (Myles Truitt) é integrante do time de basquete, Fred (Logan Riley Bruner) nerd, do tipo brilhante e irritante, se junta a Nancy (Natalia Dyer) no jornal do colégio, Angela (Élodie Grace Orkin) é a Regina George da série, Yuri (Nikola Djuricko) Russo, traficante e piloto de fuga nos arredores da prisão onde Hopper está, Dimitri (Tom Wlaschiha) Soldado russo, Dimitri se alia a Hopper na esperança de conseguir um bom dinheiro.

Destaque especial para Victor Creed (Robert B. Englund) Uma homenagem direta ao Freddy Kruger, do filme A Hora do Pesadelo (1984) –que inclusive é citado por Dustin–, Creed é uma das chaves para desvendar o mistério do novo vilão sobrenatural.

Robert Englund's Stranger Things 4
Robert Englund’s Stranger Things 4

NOVO VILÃO

Quando vi Robert B. Englund estava imaginando ele como o grande vilão da série. Com o desenrolar dos episódios você entende que na verdade ele é tão vítima quanto os outros. A série nos introduz ao Vecna, filho de Victor, o Henry Creel (Jamie Campbell Bower), uma grata surpresa.

Como os Duffers revelaram anteriormente, Vecna ​​foi criado com cerca de 90% de efeitos práticos com a ajuda do maquiador Barrie Gower. Isso significou um longo processo de maquiagem e próteses para Bower: cerca de sete horas e meia, para ser exato. Eu achei INCRÍVEL, não posso negar!

Vecna Stranger Things
Vecna Stranger Things

Ok, mas quem é Vecna?

O nome Vecna vem do jogo e RPG Dungeons & Dragons, citado na série desde a primeira temporada. No game, Vecna é uma criatura que usa um tipo proibido de mágica para se tornar imortal, e é quase isso que vemos em Stranger Things. No jogo Vecna nasceu humano séculos atrás, e sua mãe, Mazzell, foi executada por praticar feitiçaria. Então, em busca de vingança, Vecna se tornou um mestre das magias obscuras, chegando a um nível em que nenhum outro mortal havia alcançado.

Na série, descobrimos que o monstro é Henry Creel, agora conhecido como Peter. O personagem, interpretado por Jamie Campbell, foi uma criança que demonstrava comportamentos estranhos. Com isso, sua mãe buscou ajuda profissional para tratar sua “natureza perturbada” e ele não gostou nada disso. Henry começou a usar seus poderes, primeiramente, para matar animais, até acabar matando a própria família. Victor Creel, o pai, foi o único sobrevivente para poder carregar a culpa pelos crimes.

Ligação Direta

Nos últimos episódios, finalmente entendemos qual é a ligação do Vecna com a Eleven. Peter, é o paciente 001 dos experimentos do laboratório de Hawkins. Levado à força para lá, Martin Brenner (Matthew Modine) usou o sangue de Henry para criar outras crianças com os mesmos poderes. Para isso, no entanto, precisaria suprimir suas habilidades com a ajuda de um dispositivo implantado em seu pescoço. Ao longo de todos esses anos, Peter esteve no laboratório de Hawkins auxiliando Brenner nos experimentos, quando descobriu que Eleven era tão poderosa quanto ele.

Divulgação Netflix
Divulgação Netflix

Acontece que Peter manipula Eleven a tirar o dispositivo no pescoço, que de alguma forma controlava seus poderes. Com isso, 11 deu ao vilão o passaporte perfeito para matar todas as crianças. Quando ela descobre, o confronta e por fim, acaba enviando ele para o mundo invertido, onde ele se torna, o Vecna.

O mais legal deste arco da série, é que de início, você tem certeza que Eleven matou seus colegas, e só entende que isso de fato não aconteceu, por conta do experimento que estão fazendo com ela em busca de recuperar seus poderes, que revela toda a verdade.

Para saber mais sobre o vilão clique aqui.

Os arcos mais interessantes da série

Sem dúvidas, um dos arcos mais legais é ver o desenvolvimento da personagem Max (Sadie Sink) que mostra uma atuação brilhante e complexa, que está passando por poucas e boas após a morte de seu tio. O sentimento de culpa, depressão ganham outros sintomas, até que ela finalmente entende que se trata de algo além. Dear Billy é um dos episódios mais emocionantes porque não entendemos se realmente é o fim da personagem, ou se achará de fato uma saída. Max é um dos alvos de Vecna, que se alimenta a princípio de jovens com problemas psicológicos e com traumas. Com Running Up That Hill (música favorita de Max), os jovens descobrem que o ponto fraco do antagonista é a música (e eu achei essa cena um máximo).

O núcleo de NancyRobin Steve também merece destaque pelo carisma e a forma leve de conduzir a série (que caí entre nós sempre fui muito mais o Steve que o Jonathan). Mas confesso que eu não sei qual será o final para essa história mal resolvida entre a Nancy e o Steve e eu temo muito que o personagem venha a falecer no Volume 2 salvando a Nancy.

Outro ponto interessante, é ver como a Eleven estava lidando com a ausência dos seus poderes no dia a dia, a fragilidade da personagem em si em tentar se enquadrar em algum padrão ou a um grupo de pessoas na nova cidade. Resta saber agora se para os próximos capítulos teremos já a 11 com seus poderes de volta.

Em resumo

A série é um espetáculo a parte, a desenvoltura dos personagens é ponto alto. Todos tiveram seus upgrades e isso a torna muito legal. Stranger Things tem um roteiro inteligente, bons atores, e uma tamanha criatividade! Aquele ar de nostalgia pela maravilhosa fotografia e excelente figurino oitentista faz ela ficar ainda mais especial. Mesmo com essa temporada com uma pegada mais sinistra, os autores acertaram em cheio, pois ela é assustadora na medida certa, com uma leve tensão.

Nota: 9,5

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia mais noticias sobre cinema aqui.

Comentários

Jornalista & Blogueira. Não foge de um bom filme, série ou um jogo da hora. Fã da Marvel e apaixonada por Tomb Raider <3

Ana Schuch

Jornalista & Blogueira. Não foge de um bom filme, série ou um jogo da hora. Fã da Marvel e apaixonada por Tomb Raider <3