A Voz Suprema do Blues – Crítica Sem Spoilers

voz suprema do blues

A Voz Suprema do Blues (Ma Rainey’s Black Bottom) é um dos filmes da Netflix indicados ao Oscar 2021. O longa é estrelado por Viola Davis no papel de Ma Rainey e o saudoso Chadwick Boseman interpretando o trompetista Levee Green.

A peça que virou filme

Baseado em uma peça de mesmo nome, o filme dirigido por George C. Wolfe e produzido por Denzel Washington. O longa tem exatamente essa impressão, uma peça filmada. Com longos takes de câmera, monólogos extensos e um estilo de interpretação exagerado bem típico dos palcos.
O roteiro consegue ser simples e complexo ao mesmo tempo, toda a história se passa em uma única tarde, em um único local. Enquanto se gravava o disco que seria o novo sucesso de Ma Raineys. A complexidade vem da qualidade dos diálogos e das atuações, que nos levam pelas histórias e relatos dos personagens.

voz 2

Música e racismo

A narrativa gira em torno do racismo contra negros, e como eles reagiam a ele. Uns optavam por fingir não se incomodar pra não ter problemas, outros só queriam curtir a vida… Mas é principalmente através do papel de Viola Davis que interpreta uma personagem arrogante, sem carisma e difícil de se simpatizar, que conseguimos ter uma imagem mais clara da imagem que o diretor tenta passar. Toda essa arrogância é compreensível aos olhos da personagem, que usa isso como sua arma de barganha contra a opressão do homem branco que só dá valor a ela por causa de sua voz e não como ser humano.

A atuação de Chadwick Boseman está incrível, conseguiu transmitir toda a raiva, simpatia, ambição e determinação que o personagem pedia.
A Voz Suprema do Blues é um filme introspectivo, no sentido literal da palavra, que não aceita que o expectador simplesmente assista passivamente eventos acontecendo, mas te convida pra entrar no coração e alma dos personagens como uma boa música de blues.

O filme está concorrendo ao Oscar 2021 nas categorias: melhor ator (Chadwick Boseman), melhor atriz (Viola Davis), melhor direção de arte, melhor maquiagem e penteados e melhor figurino.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

Opinião: A importância da representatividade em grandes premiações (multiversomais.com)

Crítica: Mulan, novo live-action no Disney+ (multiversomais.com)

 

 

Comentários

Felipe Marcel

Host do podcast Multiverso + e amante de cinema e qualquer tipo de história bem contada!