Por que Você não Chora? é selecionado para o 48º Festival de Gramado

O mais novo filme da cineasta brasiliense Cibele Amaral, Por que Você não Chora?, foi selecionado para o 48º Festival de Gramado. O filme faz um relato cru, honesto e confrontador a respeito das mazelas que norteiam a depressão, o suicídio e outras questões relacionadas à saúde mental.

A cineasta propõe a desmistificação da delicada temática sob um olhar absolutamente feminino em sua narrativa, criando um contraste realista entre Jéssica (Carolina Monte Rosa) e Bárbara (Bárbara Paz), duas mulheres que enxergam a vida por óticas bem diferentes e que tentam lidar com suas dores, traumas e perdas à sua tortuosa maneira.

Da ideia a produção

A ideia do filme surgiu durante o meu estágio como psicóloga no Instituto de Saúde Mental de Brasília. Percebi que a grande demanda é de mulheres e que a maioria delas apresentava ideação suicida. E este é um longa que aborda e debate questões que se apresentam pelo menos uma vez na vida de cada mulher, como a maternidade, a busca por autoconhecimento, a dúvida e a necessidade de encontrar a nossa força interior para sobreviver em um mundo que nem sempre nos enxerga“, afirma Cibele sobre sua inspiração para o projeto.

O projeto exigiu muito estudo para ser uma cópia fiel a realidade. Bárbara Paz afirma que para interpretar sua personagem foi necessário um mergulho na compreensão da Síndrome de Borderline. “Fui em busca de um estudo mais profundo sobre a Síndrome de Borderline, pois essas experiências geralmente resultam em ações impulsivas e relacionamentos instáveis. Nestes pacientes, intensos episódios de raiva, depressão e ansiedade podem durar horas ou até mesmo dias e eu quis entender melhor tudo isso“, revelou a atriz.

Por que Você Não Chora? se afasta de qualquer romantização dos assuntos ligados à saúde mental. O filme é tão especial por caminhar na contramão de muitos projetos cinematográficos que abordam o mesmo tema. Para o produtor Patrick de Jongh foi fundamental fazer do longa uma narrativa genuína e franca para que a audiência compreenda o verdadeiro peso que essas complexidades exercem na vida de tantas pessoas.

Sinopse

Jéssica (Carolina Monte Rosa) é uma menina de origem humilde que veio do interior para estudar na Capital que se depara com um novo mundo durante o estágio na faculdade de psicologia. Quando passa a atender Bárbara, diagnosticada com Transtorno de Personalidade Borderline, um contraste de visões sobre a questão surge. Jéssica é séria demais. Bárbara é uma bomba relógio. Jéssica nada sabe de si, Bárbara está sempre em processo de autoconhecimento. Enquanto Bárbara vai ganhando limites e confiança para recuperar sua vida, Jéssica vai descobrindo que nunca teve uma. Todas as perguntas e dúvidas que estavam caladas de repente irrompem, quebrando as estruturas do caráter de Jéssica. O antigo não serve mais e o novo não existe. Feminino e forte, sobre a vontade de viver ou morrer, o filme aborda o controverso tema do suicídio.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

DC FanDome: Painel de Esquadrão Suicida mostra conteúdos inéditos

CBLoL 2020: paiN vence PRG e garante vaga na final

Netflix: Filmes que chegam na plataforma em setembro

Comentários