Por que Você não Chora? é selecionado para o 48º Festival de Gramado

O mais novo filme da cineasta brasiliense Cibele Amaral, Por que Você não Chora?, foi selecionado para o 48º Festival de Gramado. O filme faz um relato cru, honesto e confrontador a respeito das mazelas que norteiam a depressão, o suicídio e outras questões relacionadas à saúde mental.

A cineasta propõe a desmistificação da delicada temática sob um olhar absolutamente feminino em sua narrativa, criando um contraste realista entre Jéssica (Carolina Monte Rosa) e Bárbara (Bárbara Paz), duas mulheres que enxergam a vida por óticas bem diferentes e que tentam lidar com suas dores, traumas e perdas à sua tortuosa maneira.

Da ideia a produção

A ideia do filme surgiu durante o meu estágio como psicóloga no Instituto de Saúde Mental de Brasília. Percebi que a grande demanda é de mulheres e que a maioria delas apresentava ideação suicida. E este é um longa que aborda e debate questões que se apresentam pelo menos uma vez na vida de cada mulher, como a maternidade, a busca por autoconhecimento, a dúvida e a necessidade de encontrar a nossa força interior para sobreviver em um mundo que nem sempre nos enxerga“, afirma Cibele sobre sua inspiração para o projeto.

O projeto exigiu muito estudo para ser uma cópia fiel a realidade. Bárbara Paz afirma que para interpretar sua personagem foi necessário um mergulho na compreensão da Síndrome de Borderline. “Fui em busca de um estudo mais profundo sobre a Síndrome de Borderline, pois essas experiências geralmente resultam em ações impulsivas e relacionamentos instáveis. Nestes pacientes, intensos episódios de raiva, depressão e ansiedade podem durar horas ou até mesmo dias e eu quis entender melhor tudo isso“, revelou a atriz.

Por que Você Não Chora? se afasta de qualquer romantização dos assuntos ligados à saúde mental. O filme é tão especial por caminhar na contramão de muitos projetos cinematográficos que abordam o mesmo tema. Para o produtor Patrick de Jongh foi fundamental fazer do longa uma narrativa genuína e franca para que a audiência compreenda o verdadeiro peso que essas complexidades exercem na vida de tantas pessoas.

Sinopse

Jéssica (Carolina Monte Rosa) é uma menina de origem humilde que veio do interior para estudar na Capital que se depara com um novo mundo durante o estágio na faculdade de psicologia. Quando passa a atender Bárbara, diagnosticada com Transtorno de Personalidade Borderline, um contraste de visões sobre a questão surge. Jéssica é séria demais. Bárbara é uma bomba relógio. Jéssica nada sabe de si, Bárbara está sempre em processo de autoconhecimento. Enquanto Bárbara vai ganhando limites e confiança para recuperar sua vida, Jéssica vai descobrindo que nunca teve uma. Todas as perguntas e dúvidas que estavam caladas de repente irrompem, quebrando as estruturas do caráter de Jéssica. O antigo não serve mais e o novo não existe. Feminino e forte, sobre a vontade de viver ou morrer, o filme aborda o controverso tema do suicídio.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

DC FanDome: Painel de Esquadrão Suicida mostra conteúdos inéditos

CBLoL 2020: paiN vence PRG e garante vaga na final

Netflix: Filmes que chegam na plataforma em setembro

Comentários

Clarissa Montalvão

Formada em Comunicação Social pela UFRJ. Pode me chamar de Cla ou Clari. Estou sempre de olho no mundo dos esports para trazer o melhor conteúdo para vocês. E adoro maratonar séries e filmes nas horas vagas! Então podem esperar algumas críticas de produtos audiovisuais bem mainstream por aqui também.