Donas da Bola: Coletiva de imprensa com Mohamed Hamidi

O filme Donas da Bola está participando do Festival Varilux de Cinema Francês 2020 e o Multiverso+ teve a oportunidade de participar da coletiva de imprensa com o diretor Mohamed Hamidi.

Hamidi contou que seu filme é uma narrativa clássica de inversão de papéis. Ao trazer personagens que estão a frente de situações novas surgem situações de comédia. Há situações como os homens tendo que encarar uma máquina de lavar e levar as crianças no colégio, por exemplo. Além disso, o diretor afirma que seu filme é muito inspirado no cinema inglês.

O diretor revelou também que começou a jogar futebol muito jovem e que é inclusive da cidade de Kylian Mbappé, jogador do Paris Saint-Germain.

Somos todos da mesma geração e eu conheci ele. Ele jogava handball na época. Minha paixão por futebol vem de muito longe. Eu jogava muito jovem e cheguei a jogar em clube. Eu acompanho as equipes e os jogos”, disse Hamidi. “O futebol feminino chegou mais tarde, tem uns 10 anos mais ou menos, porque acompanhei a Copa do Mundo Feminina e vi os jogos nos estádios. Acho interessantes as mudanças de dominação de um certo esporte. Gosto quando os esportes começam a se abrir para as mulheres, porque podemos dizer que o futebol masculino é meio apodrecido pelo dinheiro e celebridades. O futebol feminino tem mais das questões futebolísticas mesmo e elas cometem menos simulações, menos erros. É bem bonito de ver.”

Hamidi possui 6 irmãs e, tendo crescido em uma família tão feminina, buscou trazer um pouco da energia de sua infância para o set. Ele contou que as atrizes eram muito ativas nas gravações e se soltavam, revelando energia similar à de sua casa quando criança.

Imagem de divulgação

Mulheres no set

Todas as atrizes aprenderam a jogar, mas na equipe havia algumas figurantes mais treinadas para ajudar.

Foi um prazer como diretor trabalhar com todas elas, eu escolhi todas. Algumas delas ainda jogam futebol e se encontram de vez em quando. Pra mim não era novo de certa forma, era o que eu queria, reencontrar essa energia e uma outra forma de abordar o jogo”, contou o diretor.

Perguntado sobre a igualdade de homens e mulheres na França, Mohamed Hamidi disse que ainda há um longo caminho a ser percorrido. Hamidi não acredita em cotas, pois segundo ele elas não são necessárias.

Eu quis fazer um filme com mulheres, pois acredito que é preciso fazer mais filmes com mulheres e que elas tenham personagens mais elaborados. Tudo que está no filme foi vivenciado por jogadoras. Os maridos que não conseguem lidar em casa, mulheres que jogam com uniformes velhos, patrocinadores que desistem, caras que insultam e zoam as meninas na torcida. Tudo isso ainda existe hoje, ainda mais em pequenas cidades. O machismo ainda está muito presente e não só no universo do futebol”.

Donas da Bola: Sinopse

A equipe inteira de futebol da pequena cidade de Clourrières se envolve em uma briga e é suspensa até o fim da temporada. Para salvar esse pequeno, o técnico decide formar um time exclusivamente de mulheres para terminar o campeonato. Essa decisão transforma completamente o cotidiano das famílias da pequena cidade, abalando as convenções há muito estabelecidas.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:
Incompatível: Comédia romântica brasileira lança trailer

Emily em Paris: Crítica primeira temporada (Com spoiler)

Mais que Especiais: Conversamos com o diretor sobre o filme

Comentários

Clarissa Montalvão

Formada em Comunicação Social pela UFRJ. Pode me chamar de Cla ou Clari. Estou sempre de olho no mundo dos esports para trazer o melhor conteúdo para vocês. E adoro maratonar séries e filmes nas horas vagas! Então podem esperar algumas críticas de produtos audiovisuais bem mainstream por aqui também.