GC Masters VI: DETONA é a grande campeã do torneio

A equipe brasileira da DETONA venceu a equipe argentina 9z Team por 2 a 0 e se consagrou campeã da GC Masters VI. A grande final aconteceu neste domingo (20). Além do troféu da edição, a DETONA recebeu a premiação de 30 mil reais. Já a 9z, recebeu a premiação de 10 mil reais pela segunda colocação.

O Confronto

O primeiro mapa foi na Mirage, pick da 9z. No primeiro half, a disputa foi acirrada entre as equipes nos rounds. Entretanto, as decisões corretas da equipe da 9z resultaram em vitórias seguidas, assim fechando o half por 10 a 5. Na segunda metade, a DETONA voltou forte no half. Os pitbulls venceram clutchs decisivos, assim virando o jogo e vencendo no mapa do adversário por 16 a 13.

O segundo confronto foi na Inferno, mapa de escolha da DETONA. No primeiro half, os pitbulls chegaram fortes em seu lado TR, abrindo uma vantagem de 8 a 2. No fim do half, a 9z reagiu e diminuiu o placar para 9 a 6. Na segunda metade, a DETONA chegou dominante com o seu lado CT. A equipe brasileira lia com facilidade as jogadas da 9z e vencia nas situações de clutch. Como resultado, a DETONA venceu o segundo mapa por 16 a 6 e conquistou o primeiro título do Major Brasileiro.

Confira as estatísticas da partida:

Placar Geral
Reprodução: HLTV

Pós-jogo

Zakk

Na coletiva de imprensa, o coach da 9z, Rafael “zakk” Fernandes, comentou que o desempenho da equipe da Mirage foi boa, mas que as derrotas em clutchs levaram a 9z perder o mapa. Já no segundo mapa, Zakk ressaltou o jogo do adversário Guilherme “piriaz1n” Barbosa:

Na Inferno a gente entrou com nosso plano de jogo, só que eles puniram bastante a gente. Principalmente o piriaz1n pelo tapete. E acabou deixando o jogo bem difícil para a gente”.

Além disso, a 9z Team é a primeira organização argentina a chegar em uma final de GC Masters. Composto por um time misto entre brasileiros, uruguaios e argentinos. Com isso, zakk respondeu sobre a importância de uma equipe sul-americana chegar na final:

Eu acho que para o cenário é muito bom, eu não tenho os números de viewers de campeonato. Mas eu sei que a gente vive batendo recordes, se juntar a stream oficial e a do Frankkaster, que é a oficial do LATAM. Então tem muito público que torce para gente e eu acho ótimo a gente chegar numa final que a galera fica mais animada”, completou Zakk.

Nak e Rikz

Já por parte da DETONA, o coach Henrique “rikz” Waku, iniciou a coletiva respondendo sobre a escolhas de mapa na final. Onde o coach confirmou que a escolha do mapa Inferno foi pensada para o adversário, já que a 9z não venceu no mapa nas últimas partidas:

Foi pensado sim. A gente viu o histórico deles. Mas também a gente pensou muito no nosso mapa. A gente pensou até em um pick Train, que é o mapa que a gente vinha jogando bem. A gente teve duas vitórias na Train muito expressivas. Só que na Train, você começa de TR quando você escolhe. E isso as vezes pode afetar alguma coisa. Então a gente decidiu fazer uma escolha mais segura”.

Para uma DETONA vitoriosa na sexta edição do Major brasileiro, o capitão da Renato “nak” Nakano falou sobre a criação da nova line. Onde o IGL ressaltou que as escolhas dos jogadores foram de acordo com suas necessidades como equipe, e funções no jogo:

Tinham várias opções, a gente podia pegar alguém mais experiente, ou alguém mais velho talvez. Mas não, a gente apostou em dois jogadores super novos. E deu certo”.

E Rikz completou: “É uma coisa que o Nak falou bastante. A gente precisava chamar jogadores com vontade de ganhar, vontade de se mostrar para o cenário”.

DETONA campeã

No histórico do torneio, a DETONA ficou duas vezes na segunda colocação da GC Masters. Com isso, Rikz falou sobre a sensação de finalmente ganhar a competição:

Cara, eu to feliz demais, eu to muito feliz de verdade. Porque mostra que a gente fez as escolhas certas. Quando você vai reestruturar um time, você tem vários caminhos para seguir. A reformulação aconteceu quando eu quis chamar o Nak de qualquer jeito. Fiz de tudo para ele entrar no time. Porque eu sabia que o primeiro passo seria este, pois o segundo passo seria a molecada”, completou o coach.

Por fim, com diversos títulos ao longo da carreira, Nak também comentou da sensação de conquistar mais um título na carreira:

Cara, eu acho que não muda. Eu to muito feliz. Eu não tenho nem palavras. O gosto de ganhar o título 15 anos atrás e ganhar hoje é mesmo para mim. Gritei muito durante todos os jogos e é por estes momentos que eu ainda jogo, porque é muito compensador. Muita felicidade. Depois de você trabalhar tanto, você ter a recompensa”.

E para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Leia também:

M+ Podcast 46: Melão fala sobre transição para Valorant

Dota 2: SG retorna e anuncia sua nova formação

La Copa: Confira o primeiro dia de campeonato de Nobru e Donato

Comentários

Caio Rozendo

Sempre atento no mundo do cinema, games e esports. Atualmente acompanho o cenário de CS:GO.Jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi.