First Strike: Gamelanders fala sobre vitória no torneio

Neste domingo (06), a Gamelanders venceu a final do First Strike Brasil por 3 a 1 contra a paiN Gaming. Após a vitória, a equipe conversou com a imprensa em uma coletiva sobre sentimentos do momento, trabalho de equipe e próximos objetivos que pretendem alcançar.

A Gamelanders vem se mostrando a elite brasileira, já tendo vencido nada menos que sete competições importantes de Valorant este ano e demonstram estarem também com fome de vitória para 2021.

Desempenho no First Strike Brasil

Para começar, mwzera foi o grande alvo de diversas perguntas devido ao seu grande destaque na competição. Porém, o próprio jogador não gosta de pensar em si mesmo como o melhor. “Não gosto de ficar me considerando o melhor. Eu gosto que as pessoas me considerem o melhor e vou continuar trabalhando para evoluir meu jogo”, afirmou mwzera. “É gratificante, ainda mais sendo campeão do maior campeonato no Brasil de Valorant, pra mim é muito gratificante.”

O jogador também fez questão de destacar o excelente trabalho realizado por Jonn, seu companheiro de equipe. “O Jonn tava passando umas calls e a gente começou a jogar mais devagar e entender mais o que eles (paiN) estavam fazendo. A gente já meio que sabia o jeito que eles jogavam, que eles eram um pouco mais passivos e a gente foi para cima”, explicou mwzera sobre o confronto contra a paiN Gaming.

Jonn acredita que o First Strike Brasil foi o campeonato em que apresentou seu melhor game individual. Jonn também disse que o time possui um trabalho de equipe muito forte e todos confiam muito nele para realizar jogadas individuais. “Eu não tenho medo de jogar, é meu estilo de jogo. Como posso dizer… É mais coragem do que talento”, afirmou o jogador.

Porém, para Jonn, o mwzera é o melhor do muito. “Fico muito feliz em ser companheiro de time tele. Temos anos de experiência. A gente sabe ler o jogo, a gente sabe ver quando a pessoa tá se perdendo no jogo. Todo mundo do time tem palpite no jogo, até por isso não temos capitão no time.”

Perguntado sobre sua participação, o coach Katraka revelou: “O time já estava pronto. A minha parte é no pré-jogo. Eles têm uma leitura de jogo, improviso e uma técnica muito grande para desempenhar suas funções. Minha parte termina quando eles entram no servidor.”

Futuro da equipe

Por fim, Nyang falou sobre os planos da equipe para o próximo ano e times que sua equipe está ansiosa por uma chance de enfrentar.

Nossos planos agora são ser campeão aqui no brasil e lá fora. A gente quer jogar o mundial e ganhar, mas para isso existe um grande caminho”, disse Nyang.

E ao ser perguntado sobre times que mais gostaria de enfrentar, o jogador citou G2 e Sentinels, que tem um estilo de jogo muito parecido com que sua equipe apresentava há um tempo. Além disso, o jogador gostaria de enfrentar os campeões do First Strike das outras regiões.

Para ficar por dentro de todas as novidades de jogos, música, filmes e séries, acompanhe o Multiverso+ nas redes sociais: FacebookInstagram e Twitter.

Leia também:

CS:GO: Astralis elimina a FURIA em semifinal da DH Masters Winter EU

NFA: Saiba tudo sobre a Liga Feminina

CS:GO: Game XP anuncia liga feminina com 200 mil de premiação

Comentários

Clarissa Montalvão

Formada em Comunicação Social pela UFRJ. Pode me chamar de Cla ou Clari. Estou sempre de olho no mundo dos esports para trazer o melhor conteúdo para vocês. E adoro maratonar séries e filmes nas horas vagas! Então podem esperar algumas críticas de produtos audiovisuais bem mainstream por aqui também.